Domingo, 14 de agosto de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Mist

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Política Em discurso na cúpula do Brics, Bolsonaro pede reforma da Organização das Nações Unidas

Compartilhe esta notícia:

Bolsonaro disse que o Brics é um “modelo de cooperação baseado em ganhos para todas as partes envolvidas”

Foto: Reprodução de TV
"Essa guerra tem causado transtorno não só para o Brasil", disse o presidente. (Foto: Reprodução de TV)

O presidente Jair Bolsonaro cobrou uma reforma da ONU (Organização das Nações Unidas), com foco no Conselho de Segurança, ao discursar na abertura da 14ª Cúpula do Brics, na manhã desta quinta-feira (23). O grupo é formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

“Devemos somar esforços em busca da reforma das organizações internacionais, como o Banco Mundial, o FMI [Fundo Monetário Internacional] e o sistema das Nações Unidas, em especial o seu Conselho de Segurança”, disse Bolsonaro. Ele afirmou que “o peso crescente das economias emergentes e em desenvolvimento deve ter a devida e merecida representação”.

O presidente brasileiro fez elogios ao Brics, chamando o grupo de “modelo de cooperação baseado em ganhos para todas as partes envolvidas”. “O Brics, além de representar um fator de estabilidade e prosperidade no cenário internacional, deve contribuir para a geração de emprego e renda e para o bem-estar de nossas populações”, acrescentou Bolsonaro.

No início do seu discurso, ele saudou os outros líderes presentes: o presidente chinês Xi Jinping, o presidente sul-africano Cyril Ramaphosa, o primeiro-ministro indiano Narendra Modi e o presidente russo Vladimir Putin.

O evento, realizado de forma virtual, marca o retorno de Putin ao cenário mundial desde o início da guerra na Ucrânia, em 24 de fevereiro. O líder russo não participava de um fórum com chefes de grandes economias mundiais desde o começo da invasão.

Ao saudar Putin, Bolsonaro pontuou que foi “muito bem recebido” pelo russo em seu país. Bolsonaro esteve na Rússia menos de dez dias antes do início da guerra.

tags: em foco

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Procurador que espancou a sua chefe durante o expediente é preso em São Paulo
Fim do Reiq pode acarretar a extinção de 9,1 mil empregos na cadeia da indústria química gaúcha
Deixe seu comentário
Pode te interessar