Quinta-feira, 22 de Outubro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
20°
Mostly Cloudy

Polícia Encontrado corpo da dentista desaparecida no Interior do RS

Compartilhe esta notícia:

Peritos do Posto de Criminalística do IGP foram acionados pela Polícia Civil.

Foto: Reprodução
Cerimônia será transmitida ao vivo pelos canais oficiais do governo do Estado. (Foto: Cristian Fischer Dreyer/IGP)

Foi encontrado nesta quarta-feira (14) o corpo da dentista Bárbara Padilha, de 32 anos. Ele foi localizado durante a tarde em um mato na BR-158, segundo confirmações de familiares e do IGP (Instituto-Geral de Perícias), que participou do atendimento da ocorrência.

O local, próximo à saída de Santa Maria, foi também de onde partiram os últimos sinais do celular da dentista, e estava sendo alvo de buscas.

Peritos do Posto de Criminalística do IGP foram acionados pela Polícia Civil. A necropsia foi realizada no Posto Médico-Legal de Santa Maria.

Desaparecimento

O desaparecimento da dentista Bárbara Machado Padilha, 32 anos, desafiava há dias a Polícia Civil do Rio Grande do Sul. Segundo a investigação, ela tinha sido vista pela última vez na noite do último sábado (10), em um posto de combustíveis próximo à cidade de Santa Maria, a mais de 100 quilômetros de Tupanciretã, onde vivia com o marido.

Tudo o que se sabia, até então, é que a mulher havia saído de casa a bordo de um táxi ou veículo de transporte por aplicativo, supostamente sem avisar a ninguém e carregando apenas uma quantia desconhecida de dinheiro e um telefone celular – documentos e cartões bancários ou de crédito ficaram na residência.

As tentativas de contatá-la depois disso foram vão, já que as ligações caíam automaticamente na caixa de mensagens.

Bárbara estava desaparecida desde sábado. (Foto: Reprodução)

Imagens gravadas por uma câmera de segurança do posto de combustíveis mostraram Bárbara sozinha, comprando uma garrafinha de água mineral e um sorvete na loja de conveniência do posto e deixando o local no começo da noite de sábado, por volta das 19h50min. A mulher havia chegado ao estabelecimento cerca de 20 minutos antes. Ainda não está claro se ela voltou a embarcar no carro contratado ou se afastou a pé.

As testemunhas ouvidas pela Polícia Civil, incluindo o marido (um advogado) e a mãe, manifestaram estranhamento, já que ela aparentemente teria deixado Tupanciretã de forma voluntária e, na avaliação de familiares e outras pessoas próximas, Bárbara não teria motivação para desaparecer – tais como dívidas ou problemas de trabalho e relacionamento social.

Embora rejeite, ao menos a princípio, a hipótese de depressão como causadora do desaparecimento, o marido da dentista disse aos investigadores que, recentemente, ela vinha apresentando um comportamento diferente do habitual, mais quieta e, aparentemente, sem motivação.

Possível planejamento

Uma descoberta de um fato recente e curioso, no entanto, “disparou o alerta” da Polícia para uma possível fuga que pode ter sido planejada por Bárbara: na sexta-feira (9), véspera do dia em que foi vista pela última vez, ela chegou a acionar um serviço de táxi-executivo para fazer a viagem até Santa Maria.

Mas o serviço acabou recusado pelo motorista, já que a mulher apresentou outro nome, levando o taxista a temer algum tipo de golpe ou mesmo assalto. E reforçando essa linha investigativa, chegou aos policiais um relato de que a dentista já havia orçado valores e condições, aproximadamente duas semanas antes, para um frete nos mesmos moldes.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Polícia

Presidente do Supremo diz que André do Rap “debochou da Justiça” e defende a prisão do traficante
Rio Grande do Sul tem 2.147 novos casos de coronavírus e 70 novos óbitos
Deixe seu comentário
Pode te interessar