Sábado, 22 de janeiro de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
26°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Brasil Estados estão usando bilhões vindos de depósitos judiciais para pagar suas contas

Compartilhe esta notícia:

Em Minas Gerais, Rio de Janeiro e RS, essas iniciativas resultaram em transferência de 10,5 bilhões de reais de depósitos judiciais para os cofres estaduais. (Foto: Reprodução)

Governadores têm pegado carona em uma lei aprovada pelo Congresso este ano e replicado nos Estados regras mais permissivas para abocanhar recursos de uma conta em poder da Justiça avaliada em 127 bilhões de reais. São depósitos judiciais que, diante da crise financeira que assola o País, viraram alvo de uma corrida dos governos para tapar buracos nos orçamentos estaduais de 2015.

Pelo menos, oito Estados aprovaram leis que estão sendo acusadas de driblar a legislação federal e aumentar a transferência de recursos para seus caixas. Em Minas Gerais, Rio de Janeiro e RS, essas iniciativas resultaram em transferência de 10,5 bilhões de reais de depósitos judiciais para os cofres estaduais.

Bahia, Ceará, Paraíba, Piauí e Sergipe também criaram regras próprias para usar os recursos. Todos os Estados estão sob a suspeita de uso abusivo desses depósitos. A PGR (Procuradoria-Geral da República), a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e a AMB (Associação de Magistrados do Brasil) acusam os governos no STF (Supremo Tribunal Federal) de extrapolar os limites impostos por lei federal, permitindo que esses recursos – que deveriam ir para o pagamento de precatórios, dívidas que o poder público tem com cidadãos ou empresas por determinação da Justiça – sejam gastos com salários de servidores, cobertura de rombo da Previdência e despesas gerais dos governos estaduais. (AG)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Setor calçadista perde mais de 10 mil postos de trabalho em todo o País
“O TSE terá problemas para enfrentar a cassação de Dilma caso seja comprovado que houve abuso de poder econômico e político nas eleições de 2014”
Deixe seu comentário
Pode te interessar