Quarta-feira, 08 de dezembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Brasil Setor calçadista perde mais de 10 mil postos de trabalho em todo o País

Compartilhe esta notícia:

No acumulado de janeiro a agosto, a queda nos negócios foi de 6,6%, na comparação com 2014. (Foto: Sebastião Moreira/AE)

Mesmo com a desvalorização do real, que favorece as exportações, o número de empregados no setor calçadista caiu 6,8% no País só em agosto em relação a igual mês de 2014, segundo a Abicalçados (Associação Brasileira das Indústrias de Calçados).

Desde abril, a indústria de calçados registra queda no emprego. Nos cinco meses até agosto foram perdidos mais de 10,2 mil postos no setor, apontou a entidade.

São Paulo, o terceiro maior empregador do segmento, foi o Estado que mais perdeu vagas no período. Naquele mês, estavam empregadas 53,5 mil pessoas no segmento, 11,2% menos do que há um ano. No RS, que tem o maior número de funcionários, a queda foi de 6%.

O fechamento de vagas é um reflexo do freio nas vendas, lembrou o presidente-executivo da Abicalçados, Heitor Klein. No acumulado de janeiro a agosto, a queda nos negócios foi de 6,6%, na comparação com 2014.

A expectativa mais otimista é que em novembro seja registrada uma queda menos acentuada nas vendas, que gere um impacto menor no total de postos de trabalho.

A alta do dólar deverá ser sentida pela indústria a partir de 2016, avaliou o executivo. Na sexta-feira, a moeda norte-americana à vista fechou cotada a 3,77 reais.

“O importador esperará até que o câmbio se acalme. Se o dólar oscila muito, ele hesita em assinar contratos”, disse Alessandro Dilly, da Dilly Calçados. (Folhapress)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Ex-diretor de Abastecimento da Petrobras poderá perder os benefícios da delação premiada caso se comprove que está mentindo
Estados estão usando bilhões vindos de depósitos judiciais para pagar suas contas
Deixe seu comentário
Pode te interessar