Quarta-feira, 25 de maio de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Agro Exportações do agronegócio gaúcho têm alta de 65,9% no primeiro trimestre deste ano

Compartilhe esta notícia:

Safras de trigo e soja impulsionaram as exportações gaúchas

Foto: Divulgação/Emater
Safras de trigo e soja impulsionaram as exportações gaúchas. (Foto: Divulgação/Emater)

Os recordes nas safras de trigo e soja registrados no Rio Grande do Sul em 2021 impactaram positivamente os resultados das exportações do agronegócio no primeiro trimestre de 2022.

Os dois produtos foram os principais responsáveis pela alta de 65,9% nas vendas externas do setor no período na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. Em números absolutos, entre janeiro e março, o Estado exportou US$ 3,4 bilhões, US$ 1,3 bilhão a mais em relação a 2021.

Entre os principais setores exportadores do agronegócio, tiveram resultados positivos no período o complexo soja (US$ 770,5 milhões, +144,2%), cereais, farinhas e preparações (US$ 737,9 milhões, +201,4%), carnes (US$ 553,4 milhões, +7,5%), fumo e seus produtos (US$ 493,2 milhões, +37,4%) e produtos florestais (US$ 299,7 milhões, +24,6%).

Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (11) pelo Departamento de Economia e Estatística no boletim Indicadores do Agronegócio do Rio Grande do Sul.

No setor de cereais, farinhas e preparações, a alta nos números se deve à elevação nas vendas de trigo (mais US$ 470,2 milhões, +383,6%). O volume exportado do cereal no primeiro trimestre chegou a 1,97 milhão de toneladas, o maior de toda a série histórica iniciada em 1997. Com demanda em alta e oferta limitada, os preços médios do produto subiram 39,3% em relação ao mesmo período de 2021.

No complexo soja, o aumento foi puxado pelo farelo (US$ 376,3 milhões, +99,2%), grão (US$ 259,7 milhões, +128,3%) e óleo (US$ 134,5 milhões, +949,6%). A alta na oferta ainda é proveniente da safra recorde colhida no Estado em 2021, que chegou a 20,4 milhões de toneladas.

Carnes

No setor de carnes, a carne suína foi o produto com a maior redução absoluta no período (US$ 104,7 milhões, -37,7%), enquanto as carnes de frango (US$ 313,8 milhões, +23,8%) e bovina (US$ 100,1 milhões, +48,8%) registraram altas em função da maior demanda dos Estados Unidos e da China.

Fumo 

No setor de fumo e seus produtos, o trimestre marcou o maior volume exportado de toda a série histórica, com 147,3 mil toneladas, uma alta de 29,3% em relação ao mesmo período de 2021. Principal produto do segmento, o fumo não manufaturado registrou vendas de US$ 461,7 milhões entre janeiro e março, alta de 40,4% na comparação com os três primeiros meses do ano passado.

Principais destinos

Entre os principais destinos das exportações gaúchas, a União Europeia superou a China no período e recebeu 19,8% de tudo o que o agronegócio do RS vendeu no trimestre. O país asiático vem na segunda posição (17,7%), seguido da Arábia Saudita (5,1%), Indonésia (4,7%) e Estados Unidos (4,7%).

Emprego formal 

Período do ano de maior contratação de mão de obra no campo, o primeiro trimestre de 2022 registrou um saldo positivo de 21.291 empregos formais no agronegócio no Estado. A diferença entre o número de admissões e de desligamentos ficou um pouco abaixo do observado no mesmo período do ano anterior (26.473).

Entre janeiro e março, o agronegócio foi o responsável por 37,8% do saldo total de empregos gerados no Rio Grande do Sul, que teve 56.337 vagas formais.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Agro

Ataque russo provoca vazamento de nitrato de amônio na Ucrânia
Ceasa-RS coloca 75 espaços comerciais à venda
Deixe seu comentário
Pode te interessar