Sexta-feira, 17 de setembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
19°
Mostly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Cinema Festival de Veneza 2021 divulga lista de filmes que concorrem ao Leão de Ouro. Brasileiros estão na mostra

Compartilhe esta notícia:

No total, 21 filmes foram selecionados para competir pelo prestigioso Leão de Ouro. (Foto: Reprodução)

Várias figuras do cinema, entre elas o espanhol Pedro Almodóvar, a neozelandesa Jane Campion, o italiano Paolo Sorrentino e o chileno Pablo Larraín, competirão na seleção oficial da 78ª edição do Festival de Cinema de Veneza, de 1º a 11 de setembro.

No total, 21 filmes foram selecionados para competir pelo prestigioso Leão de Ouro, entre eles vários cineastas reconhecidos, uma edição que se apresenta particularmente interessante e rica.

A seleção oficial contará com diretores da estatura de Almodóvar, que abre a competição com “Mães paralelas”, o relato de várias mulheres, com o qual ele aborda um de seus temas favoritos: maternidade e família.

Também foi convidado ao concurso, para apresentar sua última obra, o ganhador do Oscar italiano Paolo Sorrentino, com seu filme “Foi a mão de Deus” (em tradução livre), gravado em sua cidade natal Nápoles.

No longa, o diretor explica sua relação com o futebol, com seu ídolo Maradona, e como ele salvou sua vida.

Após mais de dez anos de seu último filme, a premiada Jane Campion (“O Piano”, 1993) volta a competir com o filme “The Power of the Dog”, inspirado na novela de mesmo nome de Thomas Savage, sobre uma guerra entre irmãos.

América Latina

Será uma edição especial, que confirma também o excelente estado do cinema da América Latina, com quatro filmes na competição oficial e três na seção Horizons, a mais experimental, berço de futuros grandes nomes da sétima arte.

Premiado em 2015 com o Leão de Ouro com seu filme “Desde Allá”, o venezuelano Lorenzo Vigas volta a competir em Veneza com “La caja”.

Outro retorno a Veneza é o do chileno Pablo Larraín, aclamado há seis anos pelo seu inquietante filme sobre os mecanismos para encobrir os padres pedófilos em “O Clube”.

Este ano compete com “Spencer”, dedicado ao fim de semana em que Diana de Gales, interpretada por Kristen Stewart, decidiu se divorciar do príncipe Charles, herdeiro da coroa da Inglaterra.

O brilhante casal argentino Gastón Duprat e Mariano Cohn volta pela terceira vez ao Festival com o filme “Competição Oficial”, protagonizado por Penélope Cruz e Antonio Banderas.

Outra presença notável será a do cineasta mexicano Michel Franco, que depois de ter impactado no ano passado com seu filme “Nova ordem”, volta a Veneza com “Sundown”.

“A qualidade média dos filmes está mais alta que o normal”, confessou o diretor do Festival, Alberto Barbera. “É como se a pandemia tivesse estimulado a criatividade”, acrescentou.

O cineasta sul-coreano Bong Joon-ho, aclamado com o Oscar pelo filme “Parasita”, será o presidente do júri, enquanto a atriz americana Jamie Lee Curtis receberá o Leão de Ouro por sua carreira e o italiano Roberto Benigni o Leão de Ouro da Trajetória.

Cinema brasileiro

Filmes brasileiros também foram selecionados para o festival, mas em circuitos alternativos à principal premiação do evento.

“7 Prisioneiros”, dirigido por Alexandre Moratto, será exibido pela primeira vez no festival e concorre ao prêmio Orizzonti Extra, uma nova categoria lançada neste ano.

O filme tem Rodrigo Santoro e Christian Malheiros no elenco e é produzido por Fernando Meirelles (“Cidade de Deus”) e Ramin Bahrani (“O Tigre Branco”). A estreia está prevista para ainda este ano na Netflix.

Outra produção brasileira que será exibida em Veneza é o curta-metragem “Ato”, da cineasta e atriz Bárbara Paz (“Babenco”).

“Que honra voltar com meu pequeno ATO”, escreveu Bárbara em post nas redes sociais. “Um filme feito nesse isolamento nessa suspensão do tempo. Entre o teatro e o cinema…”

Concorrentes ao Leão de Ouro:

— “Madres paralelas”, do espanhol Pedro Almodóvar.

— “Mona Lisa and the Blood Moon”, da americana Ana Lily Amirpour.

— “Un autre monde”, do francês Stéphane Brizé.

— “The Power of the Dog”, da neozelandesa Jane Campion.

— “America Latina”, dos italianos Fabio e Damiano D’Innocenzo.

— “L’événement”, da francesa Audrey Diwan.

— “Competencia oficial”, dos argentinos Gastón Duprat e Mariano Cohn.

— “Il buco”, do italiano Michelangelo Frammartino.

— “Sundown”, do mexicano Michel Franco.

— “Illusions Perdues”, do francês Xavier Giannoli.

— “The Lost Daughter”, da americana Maggie Gyllenhaal.

— “Spencer”, do chileno Pablo Larraín.

— “Freaks out”, do italiano Gabriele Mainetti.

— “Qui rido io”, do italiano Mario Martone.

— “On the Job: The Missing 8”, do filipino Erik Matti.

— “Leave no Traces”, do polonês Jan P. Matuszynski.

— “Captain Volkonogov Escaped”, dos russos Natasha Merkulova e Aleksey Chupov

— “The Card Counter”, do americano Paul Schrader.

— “É stata la mano di Dio”, do italiano Paolo Sorrentino.

— “Reflection”, do ucraniano Valentyn Vasyanovych.

— “La caja”, do venezuelano Lorenzo Vigas.

tags: Você Viu?

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Cinema

Zoológico de Sapucaia do Sul recebe onça-pintada
Sobrinha de Lady Di se casa com magnata sul-africano. Festa de luxo em um castelo durou três dias
Deixe seu comentário
Pode te interessar