Sexta-feira, 27 de maio de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
19°
Mostly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Geral Fogo em helicóptero do Ibama levanta suspeita de vingança

Compartilhe esta notícia:

As autoridades tratam o caso como incêndio criminoso. (Foto: Divulgação/PM-AM)

O incêndio de um helicóptero usado em operações do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) levantou a suspeita de que o crime esteja relacionado à resistência do garimpo ilegal às ações de fiscalização na Amazônia. A PF-AM (Polícia Federal do Amazonas) apura o caso. Câmeras de segurança gravaram dois suspeitos pulando o muro do Aeroclube do Amazonas, em Manaus, e ateando fogo em duas aeronaves na madrugada de segunda-feira (24).

Autoridades veem o caso como incêndio criminoso. Segundo a PF, a corporação já realizou a perícia e deve abrir inquérito em breve.

“A Polícia Federal realizou, hoje (24/01), perícia no helicóptero do Ibama. Em seguida será instaurado inquérito para apuração dos fatos e da sua autoria e também será solicitado apoio da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas, para ter acesso às imagens das câmeras de vídeo-monitoramento da região a fim de identificar a placa do carro que teria estado no local”, diz a nota enviada ao jornal O Globo.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), os vídeos já foram encaminhados à corporação. Ainda não há informações sobre a identidade dos suspeitos, que estavam a bordo de um veículo.

“A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) está prestando total apoio aos trabalhos do órgão federal. (…) Câmeras de segurança registraram o momento em que dois criminosos pularam um muro e incendiaram o helicóptero. As imagens foram repassadas para a PF-AM”, informa o comunicado.

Há suspeita de que o incêndio seja uma retaliação a ações do Ibama contra garimpos da região, mas as autoridades não confirmam oficialmente. Diversas operações têm sido realizadas para combater a mineração ilegal na Amazônia. Foi assim no caso da extração ilegal de ouro no Rio Madeira, em que mais de 400 balsas de garimpo se enfileiraram, formando uma espécie de cidade flutuante sobre as águas, com cerca de três mil pessoas.

A Polícia Militar do Amazonas (PM-AM), o Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBM-AM), a Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) e o Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC-AM) se dirigiram ao local e realizaram as ocorrências iniciais. Já o Ibama informou que uma equipe foi ao aeroclube e, em seguida, acionou a PF.

“O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) informa que, assim que tomou conhecimento do fato, na manhã desta segunda-feira (24), enviou uma equipe ao local para verificar a situação, onde foi constatado a tentativa de incêndio em duas aeronaves, acionando imediatamente a Polícia Federal”, diz a nota.

Segundo informações do jornal O Globo, a PM-AM informou que não iria se manifestar e que os esclarecimentos estariam a cargo da PC-AM. A corporação, por sua vez, repassou a responsabilidade para a PF.

Orçamento 2022

Os cortes no Orçamento 2022, sancionado com vetos pelo presidente Jair Bolsonaro, impactaram diretamente o Ibama. Como publicado no Diário Oficial da União (DOU) de segunda-feira, o mandatário cortou quase R$ 8,6 milhões em recursos para combater o desmatamento. O dinheiro seria destinado à prevenção e ao controle do fogo.

O governo também retirou mais quase R$ 4,3 milhões da área de Gestão do Uso Sustentável da Biodiversidade e Recuperação Ambiental, também gerida pelo Ibama. O enxugamento de verbas vai na direção oposta do aumento do desmatamento no Brasil, com recordes de devastação na Amazônia. As informações são do jornal O Globo.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Geral

Médica é encontrada morta dentro de banheiro de pronto socorro em São Paulo
Conselho do Ministério Público decide manter demissão de procurador da República que contratou outdoor com apoio à Operação Lava-Jato
Deixe seu comentário
Pode te interessar