Quinta-feira, 04 de Março de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
24°
Mostly Cloudy

Rio Grande do Sul Força tarefa fiscaliza supermercado, açougues e peixarias no Litoral Norte do Rio Grande do Sul

Compartilhe esta notícia:

Alimentos são inutilizados em Capão da Canoa.

Foto: DEIC/Divulgação
Alimentos são inutilizados em Capão da Canoa. (Foto: DEIC/Divulgação)

Um força-tarefa de segurança alimentar deflagrou uma ação no Litoral Norte do Rio Grande do Sul, nesta quarta-feira (27), onde foram fiscalizados um supermercado, dois açougues e duas peixarias.

Policiais Civis da Delegacia de Polícia de Proteção ao Consumidor (Decon/DEIC), agentes do Ministério Público Estadual, Secretaria Estadual de Agricultura e Pecuária (SEAPDR), do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS), da Vigilância Sanitária Municipal e Patran apreenderam na operação conjunta, mais de 3.800 quilos de alimentos impróprios para o consumo, motivo pelo qual foram inutilizados.

Durante a ação, que ocorreu em Capão da Canoa, foram constatadas diversas irregularidades nos locais visitados, que expunham à venda produtos sem procedência, gêneros alimentícios com prazo de validade vencido, além da falta de higiene. Carnes bovinas, suínas e pescados igualmente sem procedência e indevidamente processadas, embaladas e refrigeradas também foram recolhidas.

Um dos açougues foi interditado pelos órgãos sanitários, pois praticamente todas as carnes e bebidas expostas à venda eram impróprias para o consumo: sem procedência, com prazo de validade expirado, além de indevidamente embaladas e refrigeradas.

Segundo o delegado que participava da força-tarefa, a fiscalização promovida tem por objetivo garantir que alimentos seguros sejam disponibilizados à população, ou seja, próprios para o consumo e benéficos para a saúde.

Foram abertos inquéritos policiais para apurar os fatos sob a acusação de delito contra as relações de consumo. Os responsáveis pelos estabelecimentos comercias, identificados durantes as diligências, poderão sofrer pena de detenção de dois a cinco anos, ou multa.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Brasil supera a marca de 220 mil mortos por coronavírus
A prefeitura de Cachoeirinha demitiu uma funcionária que mentiu sobre ter sintomas do coronavírus para faltar ao trabalho
Deixe seu comentário
Pode te interessar