Segunda-feira, 25 de Maio de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
12°
Fair

Rio Grande do Sul FURG e Hospital Universitário vão realizar quatro mil testes moleculares para diagnóstico do coronavírus em Rio Grande

Compartilhe esta notícia:

Iniciativa é da FURG e de seu Hospital Universitário Dr. Miguel Riet Corrêa Jr.

Foto: Divulgação
Iniciativa é da FURG e de seu Hospital Universitário Dr. Miguel Riet Corrêa Jr. (Foto: Divulgação)

Uma iniciativa da FURG (Universidade Federal do Rio Grande) e de seu Hospital Universitário Dr. Miguel Riet Corrêa Jr., que é vinculado à Ebserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), vai disponibilizar ao município do Rio Grande 4 mil RT-PCR (testes moleculares) para o coronavírus. Diferente do teste rápido, que só pode ser realizado após o sétimo dia de sintomas e indica se o paciente já contraiu ou está imune ao vírus, o teste molecular apresenta um exame biológico completo e permite identificar a presença do vírus já nos primeiros dias da doença.

Na manhã desta sexta-feira (3), o Conselho Curador da Faherg (Fundação de Apoio ao Hospital de Ensino do Rio Grande) se reuniu por videoconferência e aprovou o uso de R$ 430 mil de seu fundo de contingência. O recurso será utilizado para a aquisição dos materiais de consumo dos testes e também para as adaptações estruturais necessárias para que o LAC (Laboratório de Análises Clínicas) e outros três laboratórios da Área Interdisciplinar de Ciências Médicas do HU possam processar os exames.

A compra será feita esta sexta e o prazo para entrega é de 20 a 30 dias, período que será dedicado à reforma dos espaços. “Ainda não estamos em situação tão grave. Por isso o momento de agir é agora”, explica o vice-reitor da FURG, Danilo Giroldo.

A iniciativa se soma à da Prefeitura Municipal do Rio Grande, que está adquirindo cerca 1,5 mil testes rápidos, número que, em parceria com a sociedade civil organizada e outras instituições, a FURG quer fazer chegar em 8 mil. Giroldo observa que a iniciativa tem dois objetivos: “Primeiro, vamos ter testes disponíveis para quem está na linha de frente. Quando uma pessoa está com suspeita da doença, ela e todos que tiveram contato com ela têm que ficar em isolamento e se perde um conjunto de pessoas de áreas essenciais por até 14 dias. Com essa testagem em Rio Grande a gente vai conseguir testar rápido. Se tiverem contaminadas, as pessoas vão pra isolamento, se não tiverem, poderão voltar logo ao trabalho”.

O vice-reitor refere-se a profissionais de saúde, forças de segurança, trabalhadores portuários e de serviços essenciais. O segundo objetivo é estratégico: “Esse número, 4 mil testes moleculares, mais 8 mil testes sorológicos, vai permitir que a gente tenha um panorama mais claro da evolução da doença e vamos poder tomar decisões com mais clareza, o que só é possível analisar quando dispomos de um volume maior de testes”, finaliza.

Parceria

Na última quinta-feira (2) a reitora e o vice-reitor da FURG, acompanhados pela superintendente e pelo gerente de Atenção à Saúde do HU FURG/EBSERH, participaram de reunião com a Prefeitura, o Ministério Público Estadual, o Porto do Rio Grande, empresários e entidades empresariais, como o Centro de Indústrias, a Câmara de Dirigentes Lojistas e a Câmara do Comércio para planejarem a compra de cerca de 6,5 mil testes rápidos. Em conjunto com os já adquiridos pela prefeitura, somariam 8 mil testes rápidos, número apontado como adequado pela equipe especializada do HU para o município.

Os 4 mil testes moleculares e os 8 mil sorológicos serão exclusivos para testagem no município do Rio Grande.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Não confunda as alergias de Outono com os sintomas do coronavírus
Receita Federal em Pelotas doa mais de 34 mil garrafas de bebidas alcoólicas para produção de álcool gel e derivados
Deixe seu comentário
Pode te interessar