Quinta-feira, 09 de Abril de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Mostly Cloudy

Capa – Coluna Direita Governador renova protocolo que prevê a Justiça Restaurativa como política de Estado

Assinatura foi em seminário de Justiça Restaurativa promovido com apoio da Unesco e parceria da Escola Superior da Magistratura. (Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini)

O governador Eduardo Leite assinou, na manhã desta segunda-feira (14), ao lado de representantes dos demais Poderes, a renovação do protocolo de cooperação para uma política de Estado de Justiça Restaurativa e de Construção de Paz no Rio Grande do Sul. Firmado em 2016, o protocolo prevê ações colaborativas entre Estado, Ministério Público, Defensoria Pública, Tribunal de Justiça e Assembleia Legislativa.

Para o governador, não basta que cada Poder cumpra sua função de maneira isolada. “É preciso que esses órgãos autônomos façam mais do que a competência específica, indo além das obrigações estabelecidas no papel. Temos de coordenar nossos esforços para atingirmos o objetivo de prevenir a violência e de evitar conflitos”, explicou Leite. Ao final da fala, o governador agradeceu a cada uma das pessoas, principalmente mulheres, que dedicam as carreiras a garantir a segurança pública de todos os gaúchos.

A assinatura ocorreu na abertura do Seminário Justiça Restaurativa e Círculos em Movimento – Construindo Comunidades Escolares Restaurativas, evento promovido com apoio da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) em parceria com a Ajuris (Escola Superior da Magistratura da Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul).

O protocolo foi proposto pelo TJRS com intenção de fortalecer e promover a expansão interinstitucional das ações do então Programa Justiça Restaurativa para o Século 21. Os envolvidos promovem estratégias de pacificação social, baseadas na difusão dos princípios e no desenvolvimento das práticas restaurativas, para prevenção e transformação construtiva de conflitos em âmbito judicial e extrajudicial.

A solenidade contou com a presença do procurador-geral do Estado, Eduardo Cunha da Costa, do defensor público-geral do Estado, Cristiano Heerdt, do procurador-geral de Justiça, Fabiano Dallazen, do presidente do TJRS, desembargador Carlos Eduardo Duro, e dos secretários da Educação, Faisal Karam, e de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Catarina Paladini.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Capa – Coluna Direita

Número de mortos na passagem do tufão Hagibis no Japão passa de 50
Quase 200 toneladas de óleo foram recolhidas nas praias do Nordeste
Deixe seu comentário
Pode te interessar