Terça-feira, 18 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
25°
Cloudy

Capa – Caderno 1 Número de mortos na passagem do tufão Hagibis no Japão passa de 50

Além dos 58 mortos, balanço indica que 14 pessoas estão desaparecidas e 200 ficaram feridas. (Foto: Reprodução de internet)

O número de mortos na passagem do tufão Hagibis no Japão subiu para 58, de acordo com a emissora japonesa NHK. Esse número, no entanto, pode aumentar, pois 14 pessoas continuam desaparecidas e 210 ficaram feridas. Autoridades dizem que até 40% da precipitação anual foi registrada em apenas um ou dois dias em muitas regiões.

Apesar de ter perdido força, o tufão ainda provoca chuvas fortes e alagamentos em todo o país. A liberação de água de algumas represas fez com que o nível de pelo menos 21 deles subisse, inundando ruas e áreas residenciais.

O rio Chikuma, na província de Nagano, a noroeste de Tóquio, está entre eles. Ao todo, mais de cem rios transbordaram. Na cidade de Tomioka, ao norte de Tóquio, um desabamento de terras atingiu várias casas, deixando ao menos quatro mortos.

Ventos de até 200 km/h

No sábado (12), a tempestade, a mais forte a atingir Tóquio desde 1958, tocou o solo em Shizuoka (no sudeste da capital japonesa), na ilha de Honshu, às 19h (horário local). As rajadas de vento chegaram a até 200 km/h. Um terremoto de magnitude 5,7 sacudiu Tóquio logo depois.

A intensidade “sem precedentes” de chuvas fez com que a JMA (Agência Meteorológica do Japão) emitisse seu nível máximo de alerta de chuvas, reservado para situações de possível catástrofe. Os alertas atingiram mais de 6 milhões de pessoas em todo o país. Cerca de 27 mil policiais e militares foram mobilizados para as operações de resgate.

Os fortes ventos e chuva intensa provocaram inundações em várias regiões do país e provocaram danos na infraestrutura local. No fim de semana, cerca de 400 mil domicílios ficaram sem energia elétrica.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Capa – Caderno 1

Inter estaria negociando com Eduardo Coudet, técnico do Racing
Governador renova protocolo que prevê a Justiça Restaurativa como política de Estado
Deixe seu comentário
Pode te interessar