Quarta-feira, 22 de setembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Política Governo propõe ao Congresso novo programa social; ala política defende valor de R$ 400

Compartilhe esta notícia:

O programa pode vir a ser batizado de Auxílio Brasil, e o valor das parcelas poderá chegar a R$ 400.

Foto: Reprodução
Papel-moeda representa apenas 3% dos recursos disponíveis no país.(Foto: Reprodução)

Os ministros Ciro Nogueira (Casa Civil) e Flavia Arruda (Secretaria de Governo) apresentaram nesta segunda-feira (2) aos presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), a proposta de criação do novo programa social do governo e o parcelamento dos precatórios para viabilizar o benefício

O programa pode vir a ser batizado de Auxílio Brasil, e o valor das parcelas ainda está condicionado a uma solução para o pagamento dos precatórios, que vai subir no ano que vem de cerca de R$ 40 bilhões para R$ 89 bilhões.

A ala política quer um valor na casa de R$ 400, mas a equipe econômica afirma que há recursos garantidos para R$ 300, podendo chegar aos R$ 400 desde que as privatizações avancem, e o governo consiga parcelar o pagamento dos precatórios, isto é, as dívidas judiciais.

Na reunião desta segunda-feira, os ministros informaram a Rodrigo Pacheco e a Arthur Lira que o parcelamento dos precatórios seria proposto por meio de uma proposta de emenda à Constituição, e o Auxílio Brasil, por meio de uma medida provisória.

Os articuladores políticos do governo defendem incluir as regras do novo Bolsa Família na PEC dos Precatórios para garantir a aprovação.

Nas últimas semanas, o presidente Jair Bolsonaro defendeu que o valor do novo Bolsa Família passasse dos atuais R$ 192 para R$ 300. Agora, foi convencido pela ala política a buscar um valor ainda maior, de R$ 400.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse na reunião desta segunda que um valor maior depende da criação de um fundo com recursos da privatização e do parcelamento dos precatórios.

O fundo com recursos da privatização garantiria um valor maior para o novo programa social no ano que vem. Segundo assessores presidenciais, seria um valor extra em 2022, além dos R$ 300.

O novo Bolsa Família é considerado a principal medida do governo no segundo semestre de 2021 e busca melhorar a popularidade do presidente Bolsonaro, visando a eleição do ano que vem.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Câmara pode votar nesta terça-feira Medida Provisória sobre suspensão de contratos de trabalho na pandemia
Câmara Municipal de Porto Alegre aprova programa de microcrédito que garante juro zero para microempreendedores
Deixe seu comentário
Pode te interessar