Sábado, 04 de Abril de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Fair

Economia Governo central tem superávit de R$ 44,1 bilhões em janeiro

O resultado, que reúne as contas do Tesouro, Previdência Social e Banco Central, sucede o déficit de R$ 14,637 bilhões de dezembro

Foto: Marcos Santos/USP Imagens
O resultado, que reúne as contas do Tesouro, Previdência Social e Banco Central, sucede o déficit de R$ 14,637 bilhões de dezembro. (Foto: Marcos Santos/USP Imagens)

O caixa do governo central registrou um superávit primário de R$ 44,124 bilhões em janeiro, o melhor desempenho para o mês na série histórica, iniciada em 1997, conforme divulgou nesta quinta-feira (27) o Tesouro Nacional.

O resultado, que reúne as contas do Tesouro, Previdência Social e Banco Central, sucede o déficit de R$ 14,637 bilhões de dezembro. Em janeiro de 2019, o resultado havia sido positivo em R$ 30,030 bilhões.

O resultado de janeiro ficou acima das expectativas do mercado financeiro, cuja mediana apontava um superávit de R$ 38 bilhões, de acordo com um levantamento  junto a 19 instituições financeiras. O dado do mês passado ficou dentro do intervalo das estimativas, que eram de superávit de R$ 26,292 bilhões a R$ 47,800 bilhões.

Receitas

O valor de janeiro representa alta real de 3,9% nas receitas em relação a igual mês do ano passado. Já as despesas tiveram queda real de 3,3%. Em 12 meses, o governo central apresenta um déficit de R$ 83,7 bilhões – equivalente a 1,11% do PIB (Produto Interno Bruto).

Para 2020, a meta fiscal admite um déficit de até R$ 124,1 bilhões nas contas do Governo Central. Em 2019, o rombo do governo central ficou em R$ 95,065 bilhões.

Composição

As contas do Tesouro Nacional – incluindo o Banco Central – registraram um superávit primário de R$ 59,520 bilhões em janeiro, de acordo com dados divulgados pelo Tesouro.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Ministro Luiz Eduardo Ramos diz que Sérgio Moro não tem sonho de ser candidato em 2022
Esta sexta-feira é o último dia para o pagamento do IPVA com desconto máximo de 21,6%
Deixe seu comentário
Pode te interessar