Sábado, 27 de Fevereiro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
23°
Fair

Cultura Orquestra Sinfônica de Porto Alegre tem 16 novas vagas para músicos

Compartilhe esta notícia:

Mediante concurso, cargos serão para solista, assistente e fila.

Foto: Maurício Paz/Divulgação
Mediante concurso, cargos serão para solista, assistente e fila. (Foto: Maurício Paz/Divulgação)

A Fospa (Fundação Orquestra Sinfônica de Porto Alegre) vai contar com um corpo artístico ainda mais forte nos próximos tempos. O governador do Estado do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, anunciou na quinta-feira (14) a abertura de 3.429 vagas para servidores públicos, das quais 16 para novos músicos da Ospa. O processo seletivo passa pelo planejamento fiscal do governo, sem data prévia de liberação do edital para o exame.

De acordo com o maestro e diretor artístico da orquestra, Evandro Matté, “essas nomeações são fundamentais para a continuidade do trabalho da Ospa. Assim, poderemos qualificar cada vez mais o nosso desempenho, e seguir levando a Ospa para todo o Rio Grande do Sul”.

O último concurso para ingresso na sinfônica foi realizado em 2014, tendo a nomeação ocorrido em 2018. Na ocasião, 27 entre mais de 550 músicos de todo o Brasil concretizaram o sonho de fazer parte de uma das orquestras mais antigas do País.

Sobre a Fundação Ospa

A Fundação Orquestra Sinfônica de Porto Alegre é um complexo musical-educativo que, desde 1950, realiza um trabalho de difusão da música orquestral e formação de plateias no Rio Grande do Sul. Vinculada à Secretaria de Cultura do Estado do Rio Grande do Sul, mantém a orquestra, um coro sinfônico e uma escola de música.

Doação de piano

Um piano da Ospa foi restaurado e encaminhado para a Escola de Música da instituição – Conservatório Pablo Komlós, no início do mês. O instrumento, que por anos integrou alguns dos maiores espetáculos da sinfônica, ganhará um fim instrutivo e cultural para jovens músicos, após remodelação feita pelo afinador Person Losekann.

A entrega contou com a presença do professor e pianista André Carrara. O instrumentista avalia que ‘‘o objeto é de extrema importância não apenas para a Escola como para a cidade, que ganha mais um espaço para a música, mesmo em meio a um cenário negativo do ponto de vista cultural’’.

Carrara também destaca a qualidade do instrumento, que, devido às características da marca, permite uma experiência singular para o músico. ‘‘O Blüthner é o único piano que utiliza o sistema aliquot, que, com uma corda extra nas três oitavas do piano, faz com que as notas vibrem por simpatia, garantindo uma sonoridade única e especial”, explicou.

Além de ser um desejo que se cristaliza de forma colaborativa dentro da própria Fundação, a utilidade do piano no dia a dia da instituição conta com mais de uma finalidade. Para o diretor da Escola da Ospa e clarinetista, Diego Grendene de Souza, foi um dia histórico para a Escola de Música da Ospa. “Nossos alunos e professores terão, a partir de agora, um piano da mais alta qualidade para ensaios e apresentações. É um sonho antigo, que hoje se realiza”, comemorou.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Cultura

Governo do Rio Grande do Sul paga 75 milhões de reais a hospitais gaúchos
EPTC já fiscalizou mais de 1,1 mil ônibus desde o início do ano
Deixe seu comentário
Pode te interessar