Sexta-feira, 25 de Setembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
20°
Fair

Política “Guaidó deveria ser preso e Maduro é um democrata”, diz o ex-presidente Lula

Compartilhe esta notícia:

Questionado se Maduro era um democrata, Lula (foto) respondeu que o presidente foi eleito democraticamente

Foto: Edilson Junior/Instituto Lula
Questionado se Maduro era um democrata, Lula (foto) respondeu que o presidente foi eleito democraticamente. (Foto: Edilson Junior/Instituto Lula)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e atacou Juan Guaidó, líder da oposição que se proclamou presidente interino do país.

“A Europa e os Estados Unidos não poderiam ter reconhecido um farsante que se autoproclamou presidente [Guaidó]. Não é correto, porque se a moda pega a democracia é jogada no lixo e qualquer picareta pode se autoproclamar presidente, sabe. Eu poderia agora me autoproclamar presidente do Brasil, sabe, mas e a democracia, onde vai?”, questionou Lula.

O ex-presidente realiza uma viagem pela Europa. Na segunda-feira (03), foi homenageado em Paris com o título de cidadão parisiense pela prefeita socialista Anne Hidalgo. Ele deve passar também por Suíça e Alemanha.

“Quem está tomando a iniciativa de conversar é o Maduro, não é o Guaidó. O Guaidó gostaria, na verdade, até tentou forçar, que os americanos invadissem a Venezuela. Ele deveria ter sido preso, e o Maduro foi tão democrático e não prendeu quando ele foi para a Colômbia tentar instigar a invasão da Venezuela”, prosseguiu o ex-presidente.

Em abril de 2019, Guaidó tentou liderar a entrada de ajuda humanitária estrangeira na Venezuela, que foi barrada pelo governo Maduro. O líder da oposição não conseguiu furar o bloqueio militar, e a operação acabou frustrada.

Guaidó é reconhecido como presidente interino da Venezuela por mais de 50 países, incluindo o Brasil, mas até hoje não conseguiu assumir o governo nem realizar ações efetivas.

Questionado se Maduro era um democrata, Lula respondeu que o presidente foi eleito democraticamente. “Se ele tá fazendo um bom governo ou não, são outros 500. Agora, você não dá golpe em todos os países que não estão bem.”

“Não dá para gente fazer crítica ao Maduro e não fazer crítica ao bloqueio. O bloqueio não ataca soldado, não mata culpado, o bloqueio mata inocentes”, afirmou, em referência às sanções econômicas aplicadas pelos EUA ao país. Para o ex-presidente, a melhor saída para a crise na Venezuela é dialogar com Maduro.

“Se a Michele Bachelet fez uma reunião com o Maduro e descobriu que tem [repressão à oposição], ela tem o direito e a obrigação de criar uma comissão na ONU [Organização das Nações Unidas]. Ela pode convocar chefes de Estado, pedir uma reunião com o Maduro, convidar o Maduro na ONU e discutir. Na minha experiência de política, desde movimento sindical, não tem jeito de você estabelecer um acordo se ele não for em torno de uma mesa com as pessoas que pensam a favor e ao contrário.”

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira prêmio de R$ 7 milhões
Regina Duarte toma posse e diz que buscará “pacificação e diálogo permanente” com o setor cultural
Deixe seu comentário
Pode te interessar