Sábado, 25 de junho de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
12°
Mostly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Brasil Idosos devem tomar a dose de reforço da vacina contra gripe? Tire suas dúvidas

Compartilhe esta notícia:

A vacinação contra a gripe está disponível para todas as pessoas a partir de 6 meses de idade. (Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini)

Em meio a uma epidemia de vírus influenza no Rio de Janeiro, especialistas em saúde reforçam o alerta sobre a necessidade de cuidados contra a transmissão da gripe. E isso inclui a vacinação, em especial para idosos e outros grupos de risco. A campanha realizada anualmente inclui as pessoas com mais de 60 anos entre os segmentos prioritários, assim como grávidas, profissionais de saúde e crianças a partir de 6 meses.

E apesar de constar no calendário anual, a imunização contra a doença ainda causa dúvidas. Dentre os principais questionamentos está: “Idosos vacinados no início da campanha, em abril, já devem buscar dose de reforço? Ou então: “Por que mesmo quem recebeu a injeção pode ser infectado?

Quem e quando

Todos devem tomar a vacina contra o vírus influenza. Mas os que estão mais sujeitos às complicações são os menores de 6 anos, pessoas com doenças crônicas, gestantes, puérperas, idosos. O ideal é sempre tomar antes da temporada de gripe.

Idosos que tomaram a vacina contra a gripe no início da campanha podem tomar um reforço agora? Adianta?
Podem tomar, mas a rede municipal de saúde vai destinar as novas doses este ano apenas às pessoas que ainda não foram imunizadas na campanha.

Por isso, quem já se vacinou este ano há pelo menos seis meses e quiser adquirir outra dose só poderá tomar se for pela rede privada. Ano que vem, idosos e todos os que fazem parte do grupo prioritário da vacina deverão receber nova dose.

Podemos ter mais de uma gripe no ano. Em média, a eficácia protetora da vacina se sustenta por seis meses. E a próxima vacina chegará entre março e abril.

Como fica para os vacinados

A vacina tem período de proteção conferida muito curto. Indivíduos são vacinados no outono para atravessarem o inverno com maior proteção.

Passados seis meses, os níveis de proteção diminuem. Para algumas idades, como idosos, chega a zero. Então, tem que vacinar todo ano para renovar a proteção e, além disso, o vírus sempre pode mudar no ano seguinte.

Quais medidas ajudam

As medidas são as mesmas indicadas para se prevenir da Covid-19. O cuidado com a higiene das mãos, com uso de álcool gel ou lavagem com água e sabão por 20 segundos, evita o possível contágio ao tocar em superfícies contaminadas e encostar em olhos, nariz e boca. As máscaras também ajudam na proteção contra influenza. Os ambientes com aglomerações e sem uso de máscaras aumentam a chance de transmissão.

A vacina pneumocócica

Quem tem indicação de vacina de pneumonia — entre eles idosos, diabéticos, pessoas com doenças crônicas — tem que tomar (vacina contra) pneumonia com gripe ou sem gripe, porque uma das complicações que a gripe pode ter é uma pneumonia.

Então, é preciso estar em dia com a vacina de pneumonia (para quem tem indicação), independentemente do surto de gripe. Mas a vacina pneumocócica não protege contra a gripe. Ela protege contra a pneumonia que pode ser uma complicação da gripe.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Com fortuna avaliada em quase 7 bilhões de reais, banqueira paulista é fã de Disney, “Star Wars” e brinquedos de montar
Projeto que libera os jogos-de-azar no Brasil sofre resistência das bancadas evangélica e “da bala” no Congresso Nacional
Deixe seu comentário
Pode te interessar