Quarta-feira, 24 de julho de 2024

Porto Alegre
Porto Alegre, BR
16°
Mist

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Política “Inteligência artificial só não é mais perigosa que a burrice humana”, diz o presidente do Senado

Compartilhe esta notícia:

Pacheco é autor do projeto de lei em discussão no Senado.

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado
Pacheco é autor do projeto de lei em discussão no Senado. (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), afirmou nesta terça-feira (9) que espera votar antes do recesso parlamentar o projeto que regulamenta a Inteligência Artificial (IA) no Brasil. Segundo Pacheco, o tema precisa de uma “tutela legislativa” urgente por se tratar de algo que “só não é mais perigosa do que a burrice humana”.

“É algo muito sensível que precisa ser regulado. É um erro achar que não deve ter tutela legislativa em relação a esse tema como também é um erro achar que não deve ter tutela legislativa em relação às redes sociais”, completou.

As declarações foram dadas durante evento da Confederação Nacional do Transporte (CNT), em Brasília. Pacheco é autor do projeto de lei em discussão no Senado. O relatório do senador Eduardo Gomes (PL-TO) pode ser votado a qualquer momento na comissão temporária dedicada ao tema. O texto chegou a receber quase 130 sugestões de emendas.

Um dos pontos de grandes discussões são os artigos que tratam de direitos autorais. O relatório final estabelece que empresas desenvolvedoras de IA que desejem usar conteúdo protegido por direitos autorais na construção de ferramentas com fins comerciais devem não só ter a permissão do proprietário do conteúdo como remunerá-los.

Caso o sistema desenvolvido não tenha fins comerciais, o projeto define que o uso de conteúdo protegido não constitui ofensa aos direitos autorais.

Também não será uma infração os casos em que a atividade da IA não “prejudique injustificadamente” os interesses econômicos dos titulares. Nesses casos, os desenvolvedores de IA não precisam sequer da permissão do titular.

O relatório final do texto também conta com a permissão da chamada “mineração de dados”, se feita para combater crimes. A “mineração” é o processo de extração e análise de grandes quantidades de dados de forma quase totalmente automática.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Governo federal disponibiliza mais R$ 1 bilhão em crédito a microempresários afetados pelas enchentes no Rio Grande do Sul
Assembleia Legislativa aprova projeto que permite a empresas repassarem 5% do ICMS para hospitais do Rio Grande do Sul
https://www.osul.com.br/inteligencia-artificial-so-nao-e-mais-perigosa-do-que-a-burrice-humana-diz-presidente-do-senado/ “Inteligência artificial só não é mais perigosa que a burrice humana”, diz o presidente do Senado 2024-07-09
Deixe seu comentário
Pode te interessar