Quarta-feira, 08 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
14°
Light Drizzle

Brasil Jair Bolsonaro “chegou no hospital quase morto”, disse um dos seus filhos

Compartilhe esta notícia:

"Perdeu muito sangue, chegou no hospital com pressão de 10/3, quase morto...", escreveu Flavio Bolsonaro no Twitter. (Foto: Reprodução)

O deputado estadual Flavio Bolsonaro afirmou que Jair Bolsonaro, seu pai, “chegou quase morto” ao hospital, após ser esfaqueado durante um ato de campanha em Juiz de Fora, em Minas Gerais. O parlamentar, que é candidato ao Senado pelo Rio de Janeiro, havia dito anteriormente que o ferimento era superficial.

Segundo a mensagem postada por Flavio no Twitter, diversos órgãos internos foram atingidos pela perfuração: “A perfuração atingiu parte do fígado, do pulmão e da alça do intestino. Perdeu muito sangue, chegou no hospital com pressão de 10/3, quase morto… Seu estado agora parece estabilizado. Orem, por favor!”, disse.

O relato foi confirmado pelo general da reserva Augusto Heleno, um dos principais conselheiros da campanha de Bolsonaro.

“Teve um momento de gravidade alta com risco de vida pelo fato (da faca) ter atingido alça intestinal”, disse o general.

Segundo ele, a situação só melhorou depois que a hemorragia foi contida. Isso teria acontecido por volta das 19 horas. Mas, mesmo depois disso, os médicos teriam mantido uma posição de cautela em relação ao quadro clínico do paciente.

“Ele (Bolsonaro) perdeu muito sangue. Foi grave”, afirmou o general.

Bolsonaro estava sendo carregado por apoiadores quando fez uma expressão de dor e foi retirado do local. O deputado foi retirado do local às pressas, em um carro da Polícia Federal, e levado para a Santa Casa de Misericórdia. Ao chegar ao hospital, ele fez um ultrassom, quando foi identificada a necessidade de cirurgia. Bolsonaro era acompanhado por segurança da Polícia Federal.

A Polícia Militar de Juiz de Fora confirmou que o agressor foi identificado como Adelio Bispo de Oliveira. O homem, que tem 40 anos, foi preso no local. O homem mora em Montes Claros (MG) e atualmente está desempregado. Uma das últimas ocupações dele foi como servente de pedreiro, mas ele já trabalhou em cafeteria e hotel.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

No Supremo, o ministro Celso de Mello rejeitou o pedido de liminar de Lula para ser candidato
A Polícia Federal prendeu o agressor do presidenciável Jair Bolsonaro e confirmou a abertura de inquérito sobre o incidente
Deixe seu comentário
Pode te interessar