Quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
25°
Mostly Cloudy

Notícias Lançado o “Cresce RS”, projeto de cooperação que reúne órgãos dos três Poderes para acelerar investimentos no Estado

Presidente da Assembleia do RS participará da abertura do Fórum nesta quinta. (Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini)

Uma cerimônia no Palácio Piratini marcou, na tarde dessa segunda-feira, o lançamento do projeto “Cresce RS”, criado pela Assembleia Legislativa. O objetivo é desenvolver e acompanhar ações capazes de acelerar os investimentos necessários à geração de emprego e renda no Rio Grande do Sul, dentre outras necessidades.

Representantes dos três Poderes e de instituições envolvidas na iniciativa assinaram um termo prevendo a cooperação entre os seus líderes, incluindo presidentes de federações, reitores de universidades e dirigentes de órgãos de fiscalização. A proposta se divide em três eixos: Infraestrutura e Logística, Desburocratização e Fomento dos Bancos Públicos.

Em discurso no evento, o governador Eduardo Leite saudou a atitude dos parlamentares e ressaltou que o alinhamento de Poderes, órgãos de controle, e instituições na busca de um mesmo objetivo proporciona agilidade: “Não adianta cada um querer puxar para um lado, pois acabaremos emperrados e isso gera frustração à população. Com diálogo sobre cada um dos pontos, é possível superar divergências e caminhar para um mesmo lado”.

Dentre os projetos priorizados estão a extensão da pista do Aeroporto Internacional Salgado Filho, licenciamentos ambientais por compromisso, consolidação das obras de estradas, apoio ao avanço e expansão das energias renováveis, evolução do status sanitário, Junta Comercial digital, reformulação do modal hidroviário, zonas francas de fronteira, polo naval de Rio Grande e simplificação da compensação e ressarcimento de tributos.

O presidente da Assembleia, deputado Luís Augusto Lara, disse que o Rio Grande do Sul vive em um momento histórico: “Conseguimos criar uma agenda de convergências. Há muitos anos não tínhamos condições de entrar em consenso, mas, hoje, estamos juntos para destravar questões de relevância”.

Reuniões periódicas

Para acompanhar o que for sendo construído, reuniões periódicas de monitoramento de projetos e de ações estratégicas serão realizadas a cada 45 dias ainda neste ano – uma em outubro e outra em novembro. Para o ano que vem, a previsão é de que ocorram reuniões a cada 90 dias. O secretário de Governança e Gestão Estratégica, Claudio Gastal, apresentou também as ferramentas que serão utilizadas no monitoramento.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Notícias

O governo brasileiro estuda classificar o grupo libanês Hezbollah como terrorista
O PSDB começa a analisar a expulsão de Aécio Neves
Deixe seu comentário
Pode te interessar