Sábado, 05 de Dezembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
19°
Cloudy

Mundo Mais de 47 milhões já votaram antecipadamente em eleições dos Estados Unidos, superando o número de 2016

Compartilhe esta notícia:

Cerca de 47.095 milhões de norte-americanos já entregaram suas cédulas. (Foto: Reprodução)

Mais de 47 milhões de eleitores norte-americanos já votaram antes das eleições do dia 3 de novembro, superando o total de votos antecipados da eleição de 2016 12 dias antes da data de votação, de acordo com dados compilados pelo Projeto Eleições dos Estados Unidos.

Cerca de 47.095 milhões de norte-americanos já entregaram suas cédulas, número aproximadamente oito vezes maior que os votos antecipados feitos no mesmo ponto antecedendo a disputa presidencial de 2016.

O alto número ocorre após muitos Estados expandirem a possibilidade de votação por correspondência ou presencial antecipada como uma maneira mais segura de votar durante a pandemia e mostra uma disposição do eleitorado em participar da decisão do futuro político de Donald Trump, que enfrenta um desafio duro por parte do democrata Joe Biden.

Biden lidera nas pesquisas nacionais de opinião, embora as pesquisas nos Estados cruciais indiquem uma disputa mais apertada.

O grande número de votos antecipados levou Michael McDonald, o professor da Universidade da Flórida que administra o Projeto Eleições dos EUA, a prever um comparecimento recorde de aproximadamente 150 milhões de eleitores, representando 65% do eleitorado, maior percentual desde 1908.

Obama

O ex-presidente Barack Obama pediu votos ao candidato democrata Joe Biden nas eleições presidenciais dos Estados Unidos, durante comício na Pensilvânia – um dos estados mais importantes na corrida para os 270 votos no Colégio Eleitoral.

O evento marca o retorno do ex-presidente aos discursos em público para pedir votos a Biden, que foi vice dele entre 2009 e 2017. Em agosto, Obama fez um pronunciamento à distância na Convenção Nacional Democrata, em agosto.

Em comício “drive-thru” – ou seja, com os participantes assistindo ao discurso de dentro de seus carros —, Obama criticou a condução do combate ao coronavírus pelo presidente Donald Trump, que tenta a reeleição.

“Donald Trump não vai repentinamente proteger a todos nós. Ele não consegue nem dar passos básicos para cuidar de si mesmo”, disse Obama.

O democrata também afirmou que Trump não deu nenhuma outra ideia melhor do que o Obamacare, lei que obriga os americanos a ter um seguro de saúde. “Onde está seu grande plano para substituir o Obamacare? Eles nunca tiveram um.”

Obama ainda atacou a conduta do presidente americano em “insultar a todos os que não o apoiam”. “Isto não é comportamento normal de um presidente. Nós não toleraríamos isso de um diretor de escola de ensino médio, de um treinador, de um colega de trabalho nem de alguém da nossa família – exceto talvez um tio louco”, comentou.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

A Argentina já retomou os voos nacionais regulares que estavam interrompidos há sete meses por causa da pandemia do coronavírus
A China defende a vacina contra o coronavírus e pede cooperação do Brasil no combate ao vírus
Deixe seu comentário
Pode te interessar