Domingo, 17 de outubro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
15°
Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Olimpíada Judoca gaúcha Maria Portela chora após ser eliminada em decisão polêmica dos juízes

Compartilhe esta notícia:

Gaúcha teve um wazari não computado

Foto: Gaspár Nobrega/COB
a gaúcha Maria Portela foi eliminada pela russa Madina Taimazova em uma luta muito contestada. (Foto: Gaspar Nóbrega/COB/Divulgação)

A judoca Maria Portela está fora dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Representante do Brasil na categoria 70kg feminina, a gaúcha foi eliminada nesta quarta-feira (28) ao sofrer uma derrota polêmica para Madina Taimazova, do Comitê Olímpico Russo, nas oitavas de final.

O revés ocorreu no golden score na luta mais longa da Olimpíada de Tóquio até aqui. Portela foi desclassificada ao receber o terceiro shido, a punição mais leve do judô, quando o combate se arrastava por quase 15 minutos. Instantes antes, a brasileira teve um wazari não computado pelo juiz, o mexicano Everardo Garcia. O golpe teria definido a luta a seu favor.

“O árbitro, se a gente não define, ele tem que definir. E quem tiver um pouco mais de iniciativa, vai levar. Não foi culpa dele. Eu tinha que ter sido mais agressiva, imposto mais o ritmo, por mais que não fosse efetiva, que foi o que ela fez e acabou levando. Agora quero ajudar a equipe para chegar no pódio. Sei que meu ponto é muito importante e o foco é esse, contribuir para que possamos evoluir na competição porque somos um time muito forte”, disse Maria Portela.

Confronto longo e tenso

Mais alta que Portela, Madina Taimazova começou a luta buscando a gola da brasileira. Estabilizada, a gaúcha resistiu bravamente e tentou uma entrada a 2min34s do fim. Um minuto depois, as duas foram para o solo até a interrupção da arbitragem. A 1min22s do término, Portela conseguiu o seu primeiro bom ataque, com direito a queda da rival. Pouco depois, ela tentou o estrangulamento, mas a luta acabou indo para o golden score já que o placar seguiu zerado.

O panorama da luta seguiu a mesmo no golden score com as suas lutadoras sem pontuar. Até que Portela conseguiu uma queda, e os árbitros de vídeo analisaram um possível wazari, que não foi confirmado pelo juiz Everardo Garcia, gerando muita reclamação do lado brasileiro.

De volta à luta, as duas judocas continuaram encontrando dificuldades para atacar e o tempo foi passando. Até que Portela recebeu o seu terceiro shido na luta e acabou eliminada. Ela deixou o tatame aos prantos, inconformada com o resultado.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Olimpíada

Bolsonaro recria o Ministério do Trabalho e nomeia Onyx Lorenzoni como titular da pasta
Brasileiras vencem e vão às semifinais de duplas femininas no tênis em Tóquio
Deixe seu comentário
Pode te interessar