Quinta-feira, 05 de agosto de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
14°
Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Tecnologia McDonald’s é nova vítima de hackers, que roubaram dados de clientes e funcionários

Compartilhe esta notícia:

Empresa teve dados roubados de seus sistemas nos Estados Unidos, Coreia do Sul e Taiwan. (Foto: Reprodução)

A rede de fast food McDonald’s se tornou a mais nova vítima de hackers. A empresa disse nesta sexta-feira (11) que teve dados roubados de seus sistemas nos Estados Unidos, Coreia do Sul e Taiwan, em mais uma ofensiva de criminosos contra companhias globais. Entre as informações violadas estão endereços para entregas, e-mails e telefones de clientes.

Nas últimas semanas o frigorífico JBS e a empresa de oleoduto americana Colonial Pipeline foram alvo de ataques hackers. Mas, diferentemente do que ocorreu com essas companhias, que pagaram resgates para que suas operações pudessem voltar a funcionar, o dia a dia das unidades do McDonald’s não foi afetado.

De acordo com a rede, foi percebida uma atividade não autorizada em seu sistema interno de segurança, o que a levou a contratar uma consultoria para investigar o caso. Os investigadores identificaram que houve violação de dados em três países.

Nos Estados Unidos, as informações roubadas contemplam contatos de empregados, de franquias e de negócios, como capacidade de atendimento das lanchonetes. Na Coreia do Sul e em Taiwan, houve violação de dados de clientes, incluindo endereços, e-mails e telefones. Mas não houve acesso a dados de pagamento.

Há suspeitas de que os criminosos tenham acessado os sistemas de Rússia e África do Sul, mas a empresa ainda não tem a confirmação dos ataques a esses países.

A subsidiária da JBS nos Estados Unidos informou na quarta-feira (9) que pagou o equivalente a US$ 11 milhões em resgate após o ataque hacker à sua operação no país. A empresa afirmou que a maioria de seus frigoríficos estava em plena operação no momento do pagamento.

Em comunicado, a JBS apontou que a decisão de pagar o resgate foi tomada após consultar especialistas em segurança digital. O objetivo, segundo a companhia, foi reduzir problemas relacionados à invasão e evitar o vazamento de dados.

“Foi uma decisão difícil de tomar para nossa empresa e para mim pessoalmente”, afirmou o CEO da JBS USA, Andre Nogueira. “No entanto, sentimos que essa decisão deveria ser tomada para evitar qualquer risco potencial para nossos clientes”.

A JBS foi alvo de um ataque hacker em suas unidades nos Estados Unidos, Canadá e Austrália, que ficaram temporariamente fechadas. A invasão foi realizada por um ransomware, que consegue “sequestrar” os dispositivos da vítima para cobrar uma espécie de resgate. As informações são do jornal Extra e do portal de notícias G1.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Tecnologia

Saiba se o aplicativo Voilà, que transforma foto em desenho, é seguro
Saiba como bloquear o rastreamento de aplicativos no iPhone
Deixe seu comentário
Pode te interessar