Sábado, 18 de setembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
15°
Mist

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Geral Ministério Público Federal devolve inquérito sobre agressões a Joice Hasselmann para a Polícia Legislativa finalizar laudos periciais

Compartilhe esta notícia:

Joice Hasselmann mostra hematomas no rosto. (Foto: Reprodução)

O MPF (Ministério Público Federal) no Distrito Federal decidiu devolver para a Depol (Polícia Legislativa) o inquérito sobre as agressões sofridas pela deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) para pedir complementos no material, após constatar que os laudos periciais estavam incompletos.

O material foi enviado ao MPF nesta terça-feira pela Polícia Legislativa, que considerou o caso encerrado após ter feito perícia nas câmeras do prédio onde a deputada mora e após ter ouvido pessoas que trabalham no local. Segundo o colunista do jornal O Globo, Lauro Jardim, até a noite de segunda-feira os agentes não haviam encontrado qualquer imagem de estranhos entrando no prédio onde a deputada mora. Nas redes sociais, a parlamentar afirmou que o edifício não dispõe de câmeras nas escadas e nas entradas dos apartamentos.

O procurador Wellington Divino Marques, que recebeu o inquérito, analisou o material e constatou que era necessário finalizar os laudos periciais produzidos na investigação. O material enviado ainda era preliminar e, por isso, o procurador considerou que não seria possível dar prosseguimento ao caso.

Joice Hasselman relatou a agressão pela primeira vez à colunista Bela Megale na última quinta-feira. Na ocasião, ela contou que acordou no domingo sobre uma poça de sangue, sem se lembrar o que tinha acontecido. A deputada sofreu cinco fraturas na face e uma na coluna.

Nesta terça-feira, o Depol ressaltou que o local onde houve o incidente está sob vigilância. “A Câmara esclarece que há segurança nos locais onde se localizam os apartamentos funcionais dos parlamentares. Os prédios possuem vigilância armada e porteiros, ambos 24 horas por dia, 7 dias por semana. Além disso, há câmeras de segurança e rondas ostensivas, com viatura caracterizada”. O caso também é investigado pela Polícia Civil do Distrito Federal.

A parlamentar comentou o assunto nesta terça-feira: “A Polícia Civil fez agora longa perícia no meu apto com o que há de mais moderno em investigação. Também recolheu materiais para análise. Essa investigação vai até o fim. A PC também viu as falhas de segurança do prédio. NÃO EXISTEM CÂMERAS DE SEGURANÇA NAS ESCADAS E ENTRADAS DOS APTOS. Já disse com todas as letras que isso não é coisa de amador, mas de profissional. Ninguém entraria na casa de uma parlamentar para agredi-la dando ‘tchauzinho’ para a Câmera do térreo ou do elevador, tento tantos pontos cegos no prédio. Não terei o mesmo destino de PC FARIAS. Vou até as últimas consequências. Entregarei meu sigilo telefônico (que já estava à disposição) para as polícias. Faço questão que os delegados VEJAM as mensagens. Outros boletins de ocorrência e notícias crime serão feitos essa semana. É muito material que está sendo levantado”, escreveu a deputada no Twitter.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Geral

Deputada federal Joice Hasselmann contesta colunista e afirma que não se recusou a fazer exame toxicológico
Bolsonaro diz que está entregando a “alma do governo” a líder do centrão
Deixe seu comentário
Pode te interessar