Domingo, 25 de julho de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
14°
Fog

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Política Ministro da Economia fala em “reorganização interna” após Bolsonaro indicar reforma ministerial

Compartilhe esta notícia:

"Essas novidades são justamente na direção de emprego e renda", afirmou Guedes

Foto: Edu Andrade/ME
"Essas novidades são justamente na direção de emprego e renda", afirmou Guedes. (Foto: Edu Andrade/ME)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira (21) que a pasta vai passar por uma “reorganização interna”, que envolverá a área de “emprego e renda”. Guedes deu a declaração pouco depois de o presidente Jair Bolsonaro anunciar que uma pequena reforma ministerial será divulgada na segunda-feira (26).

Bolsonaro deve recriar o Ministério do Trabalho. A pasta, no início do governo dele, foi absorvida pela Economia e ficou sob a alçada de Guedes. O ministro do Trabalho deve ser o gaúcho Onyx Lorenzoni, atual ministro da Secretaria-Geral da Presidência. Além disso, o senador Ciro Nogueira (PP-PI), líder do Centrão, deve ir para a Casa Civil. O atual ocupante da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, seria mantido no Planalto graças à vaga aberta por Onyx.

A estratégia de Bolsonaro com o novo desenho da Esplanada é ganhar mais apoio no Congresso, em especial no Senado, onde a CPI da Covid vem causando desgastes ao governo.

Guedes falou sobre a reorganização interna na sua pasta, sem entrar em detalhes, durante evento de apresentação dos dados da arrecadação federal em junho. “Tem novidade até na nossa organização estrutural. Vamos fazer uma mudança organizacional aqui também. Essas novidades são justamente na direção de emprego e renda”, afirmou o ministro.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Propostas pelo uso dos bares do Trecho 3 da Orla do Guaíba, em Porto Alegre, passam de R$ 175 mil
Arrecadação federal tem alta real de 24,49% no primeiro semestre, recorde da série histórica
Deixe seu comentário
Pode te interessar