Sábado, 19 de Setembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
12°
Mostly Cloudy

Política Ministro reabre Parque Nacional da Tijuca e defende concessões

Compartilhe esta notícia:

Ministro destacou importância do turismo para o Rio de Janeiro.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Ministro destacou importância do turismo para o Rio de Janeiro. (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, reabriu o Parque Nacional da Tijuca à visitação e destacou a importância do turismo para o Rio de Janeiro. O ministro participou de uma cerimônia no Cristo Redentor neste sábado (15) e afirmou que a retomada das visitas a parques ao redor do País seguirá os cuidados para evitar a transmissão da Covid-19.

“Em cada parque e em cada região do Brasil haverá um plano, como o ICMBio [Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade] tem feito nos parques federais. Entendemos que os estados e municípios devem fazer da mesma forma e estruturar essa reabertura para que seja feita de maneira efetiva de um lado e precavida de outro. É equilibrar esses dois pontos”, afirmou.

Concessões

Salles defendeu que o incremento ao ecoturismo no País deve vir de mais concessões de parques nacionais. O Brasil tem hoje seis parques nacionais com concessões à iniciativa privada, como o Parque Nacional da Tijuca, e o plano do ministro é que mais 20 parques entrem nessa lista, o que incluiria locais como Jericoacoara, Lençóis Maranhenses, Cambará do Sul e Chapada dos Guimarães.

“É para mostrar aos brasileiros que essa é uma fonte de receita muito promissora, que tem potencial de empregar muito grande e que é totalmente compatível com a preservação e conservação do meio ambiente”, disse Salles, que afirmou que o turismo no Brasil tem um potencial pouco aproveitado. “Há regiões muito bonitas e com absolutamente pouco turismo, porque não há infraestrutura e não há investimento”.

Pandemia

O ministro destacou que a reabertura do Parque Nacional da Tijuca seguirá os cuidados necessários para evitar a transmissão da Covid-19 e analisou que o fechamento de atividades em decorrência do isolamento social trouxe consequências econômicas negativas para toda a população.

“O importante é olhar para frente. O Brasil, como um todo, se envolve agora nesse esforço de reabertura segura, olhando para a saúde das pessoas, evidentemente em primeiro lugar, mas junto com isso com a sobrevivência econômica”, disse Salles, afirmando que os efeitos econômicos da pandemia foram uma preocupação constante do governo federal. “O presidente [Jair] Bolsonaro disse desde o início que a onda econômica seria muito avassaladora, e nós temos visto o volume de desempregados, que só não é maior graças à ação firme do presidente Bolsonaro”.

Incêndios

O ministro afirmou ainda que irá na semana que vem ao Pantanal para acompanhar a continuidade do combate aos incêndios em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. “Contamos com a população para que não tome nenhuma atitude que aumente o risco das queimadas”, pediu Salles que disse a jornalistas que o governo investiu no aumento de recursos, infraestrutura e brigadistas para a prevenção e combate a incêndios.

O presidente da Embratur, Gilson Machado Neto, também participou da cerimônia no Cristo Redentor e disse que o Brasil é o país do mundo com maior potencial para o turismo de natureza. Gilson afirmou que as buscas por essa modalidade de atrações ganhou maior importância com a pandemia de Covid-19.

“O turismo é o motor de crescimento mais rápido que o nosso País pode ter, junto com agronegócio, para uma efetiva recuperação econômica. O dono do hotel já está com a chave na mão esperando o hóspede chegar”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Defesa Civil de Santa Catarina confirma a passagem de tornados no Estado
Lewis Hamilton garante pole no GP da Espanha de Fórmula 1
Deixe seu comentário
Pode te interessar