Quinta-feira, 13 de Agosto de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
12°
Light Rain

Geral Morre, aos 93 anos, Thereza de Orleans e Bragança, da família real brasileira, e ícone da elegância carioca

Compartilhe esta notícia:

Familiares e amigos lamentam a partida de Thereza de Orleans de Bragança. (Foto: Reprodução)

Abatida desde a morte de seu único filho, Diduzinho de Souza Campos, no ano passado, Thereza de Orleans de Bragança faleceu, aos 93 anos, no Rio. Como bem definiu a jornalista Anna Ramalho, “morreu princesa aquela que foi a rainha do charme, da elegância, do glamour dos anos dourados” da cidade.

Thereza e o primeiro marido, Carlos Eduardo de Souza Campos, formavam o Casal 20 do Café Society. Ela, então Souza Campos, virou até samba de Miguel Gustavo: “Therezas e Dolores falam bem de mim, já fui até citado na coluna do Ibrahim “, dizia a canção gravada na voz de Jorge Veiga nos anos 50 e regravada por Maria Bethania duas décadas depois.

O casal 20 se desfez e Thereza se casou, nos anos 1980, com o príncipe Dom João de Orleans e Bragança, neto da princesa Isabel, de quem ficou viúva em 2005. Único descendente da princesa que ainda morava no Brasil, Dom João nasceu na França, em 1916, quando a família real estava no exílio. A anistia ocorreu quando ele tinha seis anos de idade e o príncipe veio morar por aqui aos 19 anos.

Enteado de Thereza, o fotógrafo e empresário Dom Joãozinho, confirmou que a madrasta já estava com a saúde debilitada há um tempo e lamentou sua partida “Além de elegante, era uma pessoa muito afetuosa. Ela e meu pai foram muito felizes juntos”, disse.

Félix Mendonça

O ex-deputado federal Félix Mendonça morreu aos 92 anos, no Hospital Aliança, em Salvador, na sexta-feira (26). Ele estava internado no Hospital Aliança, em estado grave, desde o dia 15 de junho, por causa da Covid-19 e não resistiu. A informação foi confirmada pela unidade hospitalar.

Natural da cidade de Conceição do Almeida, Félix Mendonça começou a carreira política aos 33 anos, quando foi eleito prefeito de Itabuna. Em 1966, ele assumiu mandato de deputado da Bahia e entre os anos de 1982 e 2011, cumpriu sete mandatos como deputado federal.

Félix Mendonça deixa a esposa, Maria Helena Mendonça e os três filhos: Félix, que é depurado federal, Andréa e Cristiana. O governador da Bahia, Rui Costa, o prefeito ACM Neto e o secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas prestaram condolências a Félix Mendonça.

“Com muita tristeza, recebi a notícia da morte do ex-deputado e ex-prefeito de Itabuna, Félix Mendonça, aos 92 anos, na noite desta sexta. Ao seu filho, o deputado federal @FelixMendoncaJr, e todos seus amigos e familiares, meus sentimentos neste momento de profunda tristeza”, escreveu Rui Costa em uma rede social.

Já o prefeito ACM Neto relembrou a amizade que Félix Mendonça tinha com o avô, Antônio Carlos Magalhães e falou sobre o período que trabalharam juntos, na Câmara dos Deputados.

“Tive o privilégio de conviver com Félix Mendonça desde criança. Pude admirar a amizade dele com o meu avô. Eram queridos amigos, amigos da vida inteira. Tive, também, a oportunidade de ser seu colega na Câmara dos Deputados. Era um exemplo de homem público. Dr. Félix nos deixa muita saudade. Quero expressar os meus sentimentos e a minha solidariedade aos amigos e familiares de Félix Mendonça. Que Deus conforte a todos neste momento de profunda tristeza”, escreveu o prefeito de Salvador.

O secretário Fábio Vilas-Boas também falou sobre a relação de amizade entre Félix Mendonça e a família.

“Deputado Felix Mendonça foi um homem e político como poucos. Amigo do meu pai, nunca esqueço da sua presença animada no meu casamento. Felinho, receba meus sentimentos em nome de meus pais, da minha família e em meu próprio. Que Deus possa confortá-los”.

A prefeitura de Itabuna, que já foi comandada por Félix Mendonça, decretou luto oficial de três dias.

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Geral

Aluna de Sérgio Moro assume culpa por plágio em artigo publicado em coautoria com o ex-ministro da Justiça
Ciclone bomba e tempestades deixaram ao menos dez mortos em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul
Deixe seu comentário
Pode te interessar