Quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
19°
Fair

Capa – Caderno 1 Mulheres sauditas poderão, a partir de agora, criar empresas sem o consentimento dos homens

(Foto: Reprodução)

A partir de agora, as sauditas poderão criar suas próprias empresas sem solicitar o consentimento de um tutor masculino, uma medida tomada para estimular o setor privado – anunciou o governo.

“As mulheres já podem abrir suas próprias empresas e se beneficiar dos serviços on-line [do governo] sem ter que demonstrar o consentimento de um tutor”, declarou o Ministério do Comércio e do Investimento no site institucional.

O príncipe herdeiro saudita, Mohamed bin Salman, lançou uma série de reformas no ano passado para estimular a participação das mulheres na vida pública e elevar a mão de obra feminina de 22% para mais de 30% até 2030.

No ano passado, o reino decidiu que as mulheres poderão dirigir veículos a partir de 2018. E, em 12 de fevereiro, a Procuradoria de Riad anunciou sua intenção de recrutar mulheres pela primeira vez.

Apesar disso, as sauditas ainda enfrentam inúmeras restrições. Por causa do sistema de tutela masculina, precisam da permissão de um homem de sua família – normalmente o marido, o pai, ou o irmão – para estudar, ou para viajar, entre outras atividades.

Direção

Menos de uma semana depois de a Arábia Saudita anunciar que as mulheres do país poderão dirigir um automóvel, as montadoras já publicaram anúncios nas redes sociais com foco nas futuras motoristas, mesmo que a liberação só ocorra a partir de junho de 2018.

Comprar um carro, porém, ainda pode ser uma barreira para as sauditas, uma vez que o sistema de “guarda masculina” faz com que os homens controlem a vida das mulheres.

É provável que elas precisem da permissão do pai, marido, irmão ou filho para comprar um automóvel, assim como ainda precisam de autorização para alugar um apartamento, trabalhar ou abrir uma conta bancária.

“Se você não tem crédito, se você não tem dinheiro, seu guardião masculino será quem vai decidir se você compra um carro ou não”, disse à Associated Press Rebecca Lindland, analista da Cox Automotive nos Estados Unidos.

Apesar disso, marcas como Volkswagen, Ford, Nissan, Land Rover, Cadillac e Kia lançaram novos anúncios nas redes sociais em uma tentativa de ser o primeiro a entrar nesse “novo mercado”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Capa – Caderno 1

Praias do Lami e de Belém Novo seguem próprias para banho
Primo do senador Aécio Neves é acusado de violar uso de tornozeleira eletrônica
Deixe seu comentário
Pode te interessar