Sábado, 11 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
15°
Mostly Cloudy

Brasil “Nem Moro, nem Dallagnol, nem PF têm a honestidade que eu tenho”, diz Lula

Compartilhe esta notícia:

Defesa do ex-presidente eleva tom contra procuradores da Operação Lava-Jato (Foto: Reprodução)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta sexta-feira (24) que o juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol não têm a honestidade que ele tem. A declaração foi dada na abertura do seminário que o PT realizou em São Paulo com o tema “O que a Lava-Jato fez pelo Brasil”. Lula defendeu também a aprovação da lei de abuso de autoridade no Congresso.

“Nem o Moro, nem o Dallagnol, nem o delegado da Polícia Federal [PF] têm a lisura, a ética e a honestidade que eu tenho nestes 70 anos de vida”, discursou Lula, no encerramento do evento.

Lula disse que os integrantes da força-tarefa fizeram “a coisa mais sem vergonha da história deste País”. O ex-presidente se queixou que, em março do ano passado, quando foi alvo de condução coercitiva, os agentes da a PF filmaram a sua casa e entregaram as imagens para um veículo fazer um filme e que os iPads de seus netos foram apreendidos na ocasião e não foram devolvidos até hoje.

“A Polícia Federal, que é uma instituição que eu aprendi a respeitar e a fortaleci, mas na hora que ela invade a casa de uma pessoa. Na minha casa, entraram com máquina fotográfica no peito, máquina de filmar, e deram para a Veja fazer um filme com as filmagens que eles fizeram na minha casa”, declarou Lula.

Em petição feita ao juiz Sérgio Moro, a defesa do ex-presidente pediu que produtores do filme “Polícia Federal – a lei é para todos”, sobre a Operação Lava-Jato, não usem as imagens da PF. O produtor do filme, Tomislav Blazic, nega que tenha recebido imagens da PF sobre a operação.

Ainda durante o seminário, o ex-presidente reclamou da atuação da força-tarefa.

“A Lava-Jato não precisa do crime. Primeiro, ela acha o criminoso e depois coloca o crime em cima do criminoso”, disse.

“Moleque”

Lula chamou o procurador Dallagnol de “moleque” ao reclamar que ele teria dito que o PT foi criado “para ser uma organização criminosa”.

“Aquele Dallagnol [vem] sugerir que o PT foi criado para ser uma organização criminosa… O que aquele moleque conhece de política? Ele nem sabe como se monta um governo. Não tem a menor noção. Ele acha que sentar em cima da Bíblia dele dá solução para tudo.

O evento, que foi marcado pelas críticas à Operação Lava-Jato, reuniu juristas, líderes de movimentos sociais e políticos da legenda e de outros partidos, como o senador Roberto Requião (PMDB-PR).

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Aplicativo permite informar atrasos de ônibus na capital 
Trump retira projeto para anular o “Obamacare”, programa de saúde de Obama
Deixe seu comentário
Pode te interessar