Sábado, 17 de Abril de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Mostly Cloudy

Rio Grande do Sul O Rio Grande do Sul registra 10 mortes por afogamento nas praias do litoral neste verão. O governo do Estado estende a Operação RS Verão Total até 15 de março

Compartilhe esta notícia:

O número de mortes por afogamento aumentou em relação ao ano passado. (Foto: Divulgação/ Governo do Estado)

Em balanço divulgado pelo governo do Estado da Operação RS Verão Total foi observado um acumulado de 10 mortes nas praias do litoral gaúcho, entre 19 de dezembro do ano passado e a última quinta-feira (25), data do fechamento da pesquisa. Para comparação, entre dezembro de 2019 e o final de fevereiro de 2020, o registro foi de apenas dois óbitos.

O Corpo de Bombeiros Militar do RS (CBMRS) realizou no período 767 salvamentos, a maioria no Litoral Norte (675). Esse acumulado representa aumento de 95% na comparação com a Operação RS Verão Total 2019/2020. Também houve aumento significativo nas ações de prevenção, com alertas de apito dos guarda-vidas a partir das guaritas e nas rondas realizadas com quadriciclos na faixa de areia. Neste ano, as atividades também têm foco especial nas orientações para evitar aglomerações e manter o uso obrigatório de máscara. Foram realizadas desde dezembro 241.762 ações de prevenção, 30% mais que as 186.278 registradas na Operação 2019/2020.

Os números reforçam a necessidade de se respeitarem as regras da bandeira preta. Em primeiro lugar, pela necessidade de cuidados para inibir ao máximo possível os riscos de contaminação pela Covid, mas também para reduzir a demanda dos policiais militares, policiais civis e bombeiros que estão atuando para fiscalizar a proibição da permanência na faixa de areia.

Mais tempo

Com a curva de contaminações e internações pelo coronavírus no pior pico desde o início da pandemia, e a necessidade de endurecer a fiscalização das medidas preventivas, o governo do Estado autorizou a extensão da Operação RS Verão Total, prevista para encerrar na próxima segunda-feira (1° de março), por mais 15 dias, com 40% do efetivo de reforço. A decisão foi anunciada pelo vice-governador e secretário da Segurança Pública, delegado Ranolfo Vieira Júnior, que coordena a Operação, em reunião por videoconferência com prefeitos da Associação dos Municípios do Litoral Norte (Amlinorte). À tarde, houve novo encontro com as chefias de todas as instituições vinculadas à SSP para alinhar as estratégias de atuação.

Conforme o vice-governador, a ampliação por mais 15 dias se dá pela necessidade de manter parte do reforço de efetivo nas áreas litorâneas, que têm se mostrado os locais em que há maior risco de aglomerações, principalmente o Litoral Norte. Até 7 de março vigora em todo o Estado os protocolos da bandeira preta, que indica o nível máximo no risco de contaminação, com imposição de restrições mais rígidas. Estará proibido, por exemplo, a permanência nas faixas de areia, a abertura de quiosques e o uso de guarda-sóis. O banho de mar não é recomendado, pois demanda que os guarda-vidas abandonem as ações de prevenção para monitorar os banhistas na água.

“A manutenção do efetivo extra no litoral se dá exclusivamente pela urgência que temos de fiscalizar com todo o rigor possível o cumprimento das medidas de prevenção. Não é uma ampliação para o veraneio, muito pelo contrário. É o pior momento da pandemia e estamos em alerta máximo. A Operação Te Cuida RS já estabeleceu as diretrizes para atuação integrada com os órgãos municipais e faremos tudo que estiver ao nosso alcance. Apelamos mais uma vez pela adesão dos prefeitos no rigor da fiscalização e que a população colabore. Evitem as praias e não permaneçam na faixa de areia. As forças de segurança vão buscar essa conscientização, mas não vão hesitar em conduzir para autuação aqueles que resistirem”, afirmou Ranolfo.

Brigada Militar, Polícia Civil, Instituto-Geral de Perícias e Corpo de Bombeiros Militar deverão manter, a partir do dia 1° de março, 40% do efetivo que atualmente reforça as atividades de policiamento e prevenção nos litorais Norte e Sul, além do efetivo regular das regiões. A prioridade total é fiscalizar o cumprimento dos protocolos de bandeira preta.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Setenta leitos de UTI e mais de 40 respiradores ampliam estrutura hospitalar do Rio Grande do Sul
A Brigada Militar fecha 19 bares no litoral norte
Deixe seu comentário
Pode te interessar