Sexta-feira, 26 de Fevereiro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
28°
Partly Cloudy

Notícias O Ministério Público do Rio Grande do Sul aperta o cerco contra a venda de alimentos impróprios para o consumo

Compartilhe esta notícia:

Força-tarefa autou e interditou diversas empresas nos últimos dias. (Foto: Divulgação/MPE-RS)

Uma força-tarefa do MPE (Ministério Público Estadual) do Rio Grande do Sul tem voltado especial atenção para os problemas envolvendo higiene, conservação e outras exigências relativas ao comércio de alimentos em Porto Alegre e diversas cidades do Interior gaúcho. O alvo mais recente foram estabelecimentos do município de Ponte Preta, na região do Alto Uruguai.

Nessa quarta-feira, três supermercados deles foram autuados e um minimercado interditado pelos agentes do Programa de Segurança Alimentar do MPE. A fiscalização constatou nesses locais uma série de falhas, principalmente más condições de higiene. As inadequações abrangeram, ainda, produtos com prazo de validade vencido, sem procedência ou com embalagens avariadas, além de medicamentos e álcool de venda proibida nesse tipo de comércio.

Participaram da ofensiva o promotor de Justiça Alcindo Luz Bastos da Silva Filho, coordenador do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), a promotora de Justiça de Erechim Karina Albuquerque Denicol e representantes das secretarias estaduais da Saúde e Agricultura, bem como da Vigilância Sanitária Municipal e de órgãos de defesa do consumidor.

Paulo Bento

Na terça-feira, a força-tarefa do Programa Segurança Alimentar autuou três estabelecimentos no município gaúcho de Paulo Bento, também na região do Alto Uruguai. Foram apreendidos e inutilizados mais de 500 quilos de alimentos variados. Os estabelecimentos Biancini Center Compras, Mini Mercado Paulo Bento e Lotérica e Comercial Lorenzi foram autuados e tiveram mercadorias apreendidas.

Dentre os problemas encontrados foram produtos vencidos, sem procedência ou armazenados em temperatura inadequada. O Biancini teve o depósito interditado pelas más condições de higiene, inclusive com fezes de roedores.

Participaram da operação o coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco – Segurança Alimentar), promotor de Justiça Alcindo Luz Bastos da Silva Filho, a promotora de Justiça de Erechim Karina Albuquerque Denicol, representantes das secretarias Estadual da Saúde e da Agricultura e da Vigilância Sanitária Municipal de Paulo Bento e Decon.

Crissiumal

Semana passada, quem recebeu a visita dos agentes foi o comércio na cidade de Crissiumal (região Noroeste). A operação autuou dois dos três estabelecimentos vistoriados, resultando na apreensão cerca de 1,1 tonelada de produtos impróprios para o consumo humano.

Os estabelecimentos autuados foram o Supermercado Benedetti e o Mercado Fockink, por apresentarem produtos armazenados em temperatura diferente da especificada pelo fabricante e alimentos vencidos. Também foi apreendida grande quantidade de álcool de venda proibida em mercados. Não foram encontradas inadequações no Supermercado Maninho.

No entanto, o coordenador do Gaeco, promotor de Justiça Alcindo Luz Bastos da Silva Filho elogiou o nível de qualidade sanitária dos estabelecimentos do município: “Surpreendeu”.

Participaram ainda da operação o promotor de Justiça de Crissiumal, Ronaldo de Almeida Arbo, e representantes das Secretarias Estadual da Saúde e da Agricultura e da Decon.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Notícias

O fim do número de likes diminuiu o engajamento no Instagram
A Câmara de Vereadores de Porto Alegre aprovou mudanças nas regras sobre dívidas da prefeitura
Deixe seu comentário
Pode te interessar