Quinta-feira, 22 de Outubro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Fair / Wind

Rio Grande do Sul O novo mapa do distanciamento controlado reduziu de cinco para quatro o número de regiões gaúchas sob bandeira vermelha

Compartilhe esta notícia:

Porto Alegre, Novo Hamburgo, Santo Ângelo e Cruz Alta estão sob alto risco de coronavírus. (Foto: Divulgação/Palácio Piratini)

Em sua vigésima rodada desde maio, o novo mapa definitivo do sistema de distanciamento controlado reduziu de cinco para quatro a quantidade de regiões do Rio Grande do Sul sob bandeira vermelha, que indica alto risco epidemiológico para coronavírus: Porto Alegre, Novo Hamburgo, Santo Ângelo e Cruz Alta. Todas as demais 17 áreas gaúchas estão sob a cor laranja (risco médio).

Como de praxe, a configuração foi divulgada na tarde da segunda-feira (21) e tem vigência entre as primeiras horas desta terça-feira (22) e a noite da segunda-feira que vem.

Ao todo, o Comitê de Crise do governo do Estado recebeu até a manhã de domingo oito recursos apresentados por prefeituras e associações locais contra o mapa preliminar, divulgada na tarde de sexta-feira. Só foi reconsiderado, entretanto, o apelo apresentado pela região de Guaíba. Há, também, um encaminhamento de Santa Maria, que aguarda análise pelo Palácio Piratini.

As áreas de Novo Hamburgo, Santo Ângelo e Cruz Alta foram preliminarmente classificadas em vermelho e tiveram seus recursos indeferidos pelo Gabinete de Crise. Já a região de Porto Alegre não fez a solicitação, a exemplo do que tem feito nas últimas semanas.

Todas as quatro regiões em vermelho já adotam protocolos próprios. A possibilidade de cogestão, com adoção de protocolos estabelecidos pelas associações regionais, está vigente desde a 14ª rodada do Distanciamento Controlado.

Das 21 regiões do mapa que determina restrições de atividades conforme a situação epidemiológica da pandemia, 17 aplicam protocolos próprios por meio do sistema de cogestão:

Capão da Canoa, Taquara, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre, Santo Ângelo, Cruz Alta, Ijuí, Santa Rosa, Palmeira das Missões, Passo Fundo, Pelotas, Caxias do Sul, Cachoeira do Sul, Santa Cruz do Sul, Lajeado e Erechim. Todas essas podem adotar protocolos flexíveis, desde que não menos restritivos do que os de bandeira amarela.

Abrangência

Depois da análise de recursos, o Estado ficou com 58 municípios sob bandeira vermelha, o que corresponde a 31,8% da população gaúcha (3.602.469 habitantes).

Desse total, 19 municípios não tiveram registros de hospitalização e óbitos por Covid-19 de moradores nos 14 dias anteriores ao levantamento – equivalente 0,9% da população gaúcha (104.037 habitantes).

As prefeituras dessas cidades se adequam à chamada Regra 0-0 e podem, portanto, adotar protocolos previstos na bandeira laranja por meio de regulamento próprio.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Terceiro colocado em votação mas escolhido por Bolsonaro, o professor Carlos André Bulhões tomou posse como reitor da Ufrgs
Morre 11ª moradora de asilo com surto de coronavírus em Gramado, na Serra Gaúcha
Deixe seu comentário
Pode te interessar