Sexta-feira, 03 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
Fair

Geral O número de mortos britânicos por coronavírus se aproxima de 50 mil

Compartilhe esta notícia:

O Reino Unido confirma seu lugar entre os países mais atingidos do mundo. (Foto: Reuters)

O número de mortes causadas pela Covid-19 no Reino Unido se aproximou de 50 mil nesta terça-feira (2), confirmando seu lugar entre os países mais atingidos do mundo, enquanto o primeiro-ministro, Boris Johnson, tenta conter o surto agressivo do novo coronavírus.

A soma estava em 49.646, incluindo dados de certidões de óbito da Inglaterra e do País de Gales até 22 de maio divulgados nesta terça-feira, cifras previamente publicadas pela Escócia e a Irlanda do Norte e mortes recentes em hospitais ingleses.

O número grande de mortes desencadeou críticas contra Johnson, que partidos de oposição dizem ter demorado demais para impor um isolamento, para proteger idosos em casas de repouso e para criar um sistema de exames e rastreamento.

O governo de Johnson diz que, embora possa ter cometido alguns erros, está lidando com a maior crise de saúde pública desde a gripe espanhola de 1918 e que não permitiu que o sistema de saúde ficasse sobrecarregado.

Mas a quantidade de óbitos assustadora ultrapassa até algumas projeções dos próprios conselheiros científicos do governo.

Em março, o principal deles disse que manter as mortes abaixo de 20 mil seria um “bom resultado”. Em abril, a Reuters noticiou que o governo previa 50 mil fatalidades na pior das hipóteses.

Ao contrário do número de mortes publicado pelo governo, as cifras de certidões de óbito desta terça-feira incluem casos suspeitos e confirmados de Covid-19, a doença respiratória causada pelo novo coronavírus.

Epidemiologistas dizem que a mortalidade em excesso – os falecimentos por todas as causas que excedem a média de cinco anos para uma dada época do ano – é a melhor maneira de mensurar as mortes de um surto de doença porque permite uma comparação internacional.

De acordo com os dados mais recentes disponíveis, cerca de 62 mil pessoas a mais do que o normal morreram no Reino Unido durante a pandemia de coronavírus deste ano, disse um especialista do Escritório de Estatísticas Nacionais nesta terça-feira.

Minorias étnicas

Pessoas negras e asiáticas na Inglaterra têm até 50% mais chances de morrer após serem infectadas com o novo coronavírus, apontou um estudo oficial divulgado nesta terça-feira, reforçando pesquisas anteriores que indicam que minorias étnicas estão mais expostas ao vírus.

O relatório da agência de saúde do governo britânico Public Health England (PHE), que examinou as disparidades na forma como a Covid-19 afeta as pessoas no país, mostrou que havia um efeito desproporcional significativo nas minorias étnicas e confirmou que o número de mortos entre idosos é mais elevado.

O relatório foi divulgado após um funcionário de direitos humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) destacar o “impacto devastador” da infecção respiratória nessas comunidades no Reino Unido e em outros países.

As taxas de mortalidade por Covid-19 foram maiores para os grupos étnicos negros e asiáticos quando comparadas às de grupos étnicos brancos”, afirmou o relatório da PHE.

O estudo apontou que as pessoas de etnia bengali têm aproximadamente o dobro do risco de morte em relação aos britânicos brancos.

Aqueles que são de etnias chinesa, indiana, paquistanesa ou outra asiática, bem como cidadãos do Caribe ou de outra etnia negra, apresentaram um risco de morte entre 10% e 50% maior do que os do grupo britânico branco, informou a PHE. As informações são da agência de notícias Reuters.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Geral

O presidente Donald Trump foi levado para um bunker na Casa Branca durante protesto nos Estados Unidos
Juiz que perguntou a uma vítima de estupro por que ela não fechou as pernas é destituído
Deixe seu comentário
Pode te interessar