Sexta-feira, 28 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
18°
Fair

Brasil O País cria 121 mil vagas de emprego em agosto, o melhor resultado para o mês em seis anos

A reforma trabalhista está em vigor há dois anos. (Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

A economia brasileira criou 121.387 empregos com carteira assinada em agosto, segundo números do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados nesta quarta-feira (25) pelo Ministério da Economia.

O resultado é o melhor para os meses de agosto desde 2013, quando foram gerados 127.648 postos de emprego formal. No ano passado, foram criadas 110.431 vagas formais.

O saldo é a diferença entre as contratações e a demissões. Em agosto, o País registrou 1.382.407 contratações e 1.261.020 demissões. De janeiro a agosto de 2019 foram criados 593.467 empregos com carteira assinada, segundo informou o ministério.

Setores

Em agosto, o saldo de empregos foi positivo em seis setores econômicos e negativo em dois. Os setores que demitiram mais do que contrataram foram Agropecuária (-3.341) e Serviços Industriais de Utilidade Pública (-77).

Salário

Segundo dados do Ministério da Economia, em agosto, o salário médio de admissão foi de R$ 1.619,45, valor 9,3% inferior ao que o salário médio de desligamento, que foi de R$ 1.769,59. Segundo o Ministério da Economia, em relação a julho o salário médio de admissão teve aumento real de 0,44% e o salário de desligamento aumentou 0,09%.

Reforma trabalhista

Com base nas regras da reforma trabalhista, que permite acordo de demissão entre patrões e empregados, o Caged registrou um total de 18.420 desligamentos nessa modalidade, que representa 1,5% do total envolvendo 13.351 estabelecimentos, em um universo de 12.105 empresas.

O mês de agosto também registrou 12.929 admissões e 6.356 desligamentos na modalidade de trabalho intermitente, em que o empregado fica à disposição do empregador, mas só recebe quando é convocado a trabalhar.

Esse tipo de contratação gerou, no mês passado, um saldo de 6.573 empregos, envolvendo 3.239 estabelecimentos e 2.830 empresas contratantes. Um total de 85 empregados celebrou mais de um contrato na condição de trabalhador intermitente.

Foram registradas em agosto 7.804 admissões em regime de tempo parcial e 5.154 desligamentos, gerando saldo de 2.650 empregos, envolvendo 4.211 estabelecimentos e 3.583 empresas contratantes.

Um total de 44 empregados celebrou mais de um contrato em regime de tempo parcial. Pelas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro comentou os dados do Caged e disse que “o Brasil segue se recuperando”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Empresas aéreas vão poder continuar cobrando pela bagagem despachada em nosso País
A Presidência da República avaliará a possibilidade de recorrer à Justiça para manter os 18 vetos presidenciais a dispositivos do projeto de lei do abuso de autoridade
Deixe seu comentário
Pode te interessar