Segunda-feira, 15 de agosto de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
18°
Mostly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Mundo Organização Mundial da Saúde alerta para aumento de casos de covid em quase todo o mundo

Compartilhe esta notícia:

Autoridades não recorrem às mesmas medidas de outras fases da crise sanitária, mas OMS alerta contra desmantelamento do sistema de vigilância. (Foto: Getty Images)

O número de novos casos de covid aumentou 18% na última semana, com mais de 4,1 milhões de casos registrados no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

O maior aumento semanal de novos casos de covid aconteceu no Oriente Médio, que registrou aumento de 47%, de acordo com relatório divulgado na última quarta (29). As infecções aumentaram cerca de 32% na Europa e no Sudeste Asiático e cerca de 14% nas Américas, segundo a OMS.

A agência de saúde disse que o número mundial de mortes permaneceu relativamente igual ao da semana anterior, em cerca de 8.500. As mortes relacionadas à covid aumentaram no Oriente Médio, Sudeste Asiático e Américas.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que os casos estão aumentando em 110 países, impulsionados pelas variantes da ômicron BA.4 e BA.5, e que a pandemia está mudando, mas não acabou.

Ele disse que a capacidade de rastrear a evolução genética da doença está “sob
ameaça” à medida que os países relaxam as medidas de monitoramento, alertando que isso dificulta a identificação de novas variantes, potencialmente perigosas.

Ele pediu que os países imunizem suas populações mais vulneráveis, dizendo que centenas de milhões permanecem não vacinados e correm risco de contrair formas mais graves da doença.

Tedros disse que, embora mais de 1,2 bilhão de vacinas covid tenham sido
aplicadas globalmente, a taxa média de imunização nos países pobres é de cerca de 13%.

“Se os países ricos estão vacinando crianças a partir dos 6 meses de idade e
planejando fazer novas rodadas de vacinação, é incompreensível sugerir que os países de baixa renda não devem vacinar e aumentar a proteção de suas
populações mais vulneráveis”, disse ele.

De acordo com números compilados pela Oxfam e pela People’s Vaccine Alliance, menos da metade dos 2,1 bilhões das vacinas prometidas aos países mais pobres pelas grandes economias do Grupo das Sete foram entregues.

Varíola 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu nesta sexta-feira (1º) a adoção de medidas “urgentes” para conter a propagação da varíola dos macacos na Europa, onde os casos triplicaram nas últimas duas semanas.

“É imperativa uma ação urgente e coordenada” nos próximos meses para evitar que a doença se espalhe “em áreas geográficas maiores”, alertou o diretor regional da OMS para a Europa, Hans Henri Kluge, em comunicado.

De acordo com os dados mais recentes da agência da ONU, a Europa contabiliza cerca de 4.500 casos da doença viral, três vezes mais do que em meados de junho.

Esse número corresponde a 90% dos registrados mundialmente desde meados de maio, quando a moléstia, até então considerada endêmica apenas em cerca de dez países africanos, começou a ser notificada na Europa.

Até agora, 31 países europeus registraram episódios.

tags: em foco

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

General confidente de Raúl Castro morre de ataque cardíaco, diz imprensa estatal
Escalada da inflação amplia risco de crises políticas na América Latina
Deixe seu comentário
Pode te interessar