Sexta-feira, 12 de agosto de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Economia Os brasileiros com mais de 50 anos já representam a maior fatia do mercado consumidor do País. São 54 milhões de pessoas

Compartilhe esta notícia:

São 54 milhões de pessoas que movimentam por ano R$ 1,8 trilhão, ou 42% do consumo total das famílias. (Foto: Freepik)

Os brasileiros com mais de 50 anos já representam a maior fatia do mercado consumidor do país. São 54 milhões de pessoas que movimentam por ano R$ 1,8 trilhão, ou 42% do consumo total das famílias. Ainda assim, essa parcela significativa da população se sente ignorada pelas campanhas de publicidade. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Mesmo sendo o maior mercado consumidor, 87% gostariam de ser mais ouvidos pelas empresas, 77% não se identificam com as campanhas publicitárias e 67% preferem marcas e empresas com valores semelhantes aos seus.

Os dados fazem parte da pesquisa Longer atividade apresentada por Renato Meirelles e Carlos Alberto Júlio, do Instituto de Pesquisa Locomotiva, durante o XIII Fórum da Longevidade Bradesco Seguros. A pesquisa ouviu mais de 2 mil pessoas e traçou um perfil da geração conhecida como “gray power”, de pessoas com mais de 50 anos.

Mas, afinal, quem são esses brasileiros? Segundo a pesquisa, 62% dos 54 milhões de “gray power” são chefes de família e 13% moram sozinhos. Quando perguntados sobre valores, eles se dizem honestos, trabalhadores e autênticos. Mas não se consideram sonhadores, aventureiros ou sensuais.

Solidão não é mais uma grande preocupação, ao contrário do que apontava outra pesquisa realizada há cinco anos. “Hoje, 73% dizem ter muitos amigos. A solidão foi deixada para trás pela digitalização”, afirma Meirelles. Entre a população dessa faixa etária, 72% acessam a internet.

Dos brasileiros maduros, oito em cada dez dizem não ter medo da velhice. “Isso mostra uma grande mudança no significado do envelhecimento, porque as pessoas estão vendo seus pais viverem mais e melhor”, afirma Meirelles, que preside o instituto. Os mais velhos também dizem estar felizes com seu estilo de vida, alimentação, saúde, vida amorosa e social. Entre as preocupações estão as mudanças no corpo, a falta de dinheiro e o sentimento de inutilidade.

“Há uma disposição de manter-se ativo por mais tempo, de querer usar parte da poupança para viajar, abrir um negócio, mudar de casa. Mas como proteger as economias? O seguro passou a ser visto como uma plataforma para conseguir ir mais longe e realizar os sonhos”, diz.

Poder público

A pesquisa mostrou também que os brasileiros com 50 anos ou mais desaprovam a forma como o poder público os trata: 79% dizem que há muito o que melhorar nos serviços públicos, com a saúde liderando o ranking, seguida por necessidade de aumento da aposentadoria, redução da corrupção e mais estímulo ao emprego para essa faixa etária.

Pessoalmente as coisas vão melhor. “São 92% os que dizem ter orgulho das realizações e conquistas ao longo da vida”, diz Meirelles. Segundo o levantamento, sete em cada dez brasileiros acreditam que viverão pelo menos até os 80 anos. “Aproximar-se desse público é aproximar-se do nosso futuro”, afirma Meirelles.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Conheça as novidades no combate ao câncer no pâncreas
Uma sonda da Nasa detectou anomalias dias antes da aproximação de objeto extraplanetário
Deixe seu comentário
Pode te interessar