Terça-feira, 20 de Outubro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
25°
Fair

Mundo Os Estados Unidos pedem que americanos evitem festas de Halloween por riscos do coronavírus

Compartilhe esta notícia:

País atingiu 200 mil mortes pelo novo coronavírus. Autoridades de saúde sugerem concursos virtuais de fantasia e entrega a distância de doces

Foto: Reprodução
País atingiu 200 mil mortes pelo novo coronavírus. Autoridades de saúde sugerem concursos virtuais de fantasia e entrega a distância de doces. (Foto: Reprodução)

Esqueça o traje de princesa, as máscaras de Batman ou de Trump: as autoridades dos Estados Unidos pediram à população para evitar sair na noite de Halloween por causa do “alto risco” frente a pandemia do novo coronavírus. A data é comemorada em 31 de outubro.

“Muitas tradições do Halloween podem apresentar alto risco de propagação do vírus”, informou o CDC [Centro de Controle e Prevenção de Doenças] em um comunicado no qual desaconselha festas à fantasia ou permitir que crianças saiam para comprar doces.

“Ir para uma casa mal-assombrada onde as pessoas estão amontoadas e gritando também não está permitido”, acrescentou.

As autoridades recomendaram realizar atividades em casa ou com amigos e vizinhos ao ar livre, respeitando o distanciamento social. Eles sugerem também um concurso virtual de fantasias.

O CDC observou que a tradição dos “doces ou travessuras”, em que as crianças vão de porta em porta pedindo guloseimas, representa um risco moderado. O órgão recomendou que as pessoas preparassem os sacos de doces com antecedência e os deixassem a uma distância considerável da porta de casa.

As diretrizes foram anunciadas em um momento em que os estados de todo o país buscam um equilíbrio entre normas de segurança e diversão em meio à temporada de festas, que começa com o Halloween.

“Como algumas das formas tradicionais de celebrar este feriado não permitem minimizar o contato com pessoas que não são membros da família, é importante planejar com antecedência e identificar alternativas mais seguras”, explicou a Secretaria de Saúde do condado de Los Angeles.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Bolsonaro e o influenciador digital Felipe Neto estão entre os 100 mais influentes do mundo, segundo a revista “Time”
Com demanda menor, hospitais vão reduzir estrutura de atendimento para o coronavírus em Porto Alegre
Deixe seu comentário
Pode te interessar