Segunda-feira, 21 de Setembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
12°
Fair

Política Peça-chave da Operação Lava-Jato, sítio de Atibaia representa 1% do valor investigado no caso de filho de Lula

Compartilhe esta notícia:

O sítio de Atibaia era frequentado por Lula e sua família

Foto: Reprodução de TV
Sítio frequentado pelo ex-presidente Lula em Atibaia. (Foto: Reprodução de TV)

​O valor de compra do sítio de Atibaia (SP) representa menos de 1% do total de repasses suspeitos investigados pela Lava-Jato na 69ª fase da operação, que tem como principal alvo um dos filhos do ex-presidente Lula, Fábio Luis Lula da Silva, o Lulinha. O imóvel, no entanto, é a peça-chave para que o caso seja apurado pela força-tarefa de Curitiba (PR).

Na terça-feira (10), a PF (Polícia Federal) cumpriu 47 mandados de busca e apreensão no âmbito da Operação Mapa da Mina, fase da Lava-Jato que pretende aprofundar investigações sobre o pagamento de despesas da família de Lula com recursos das empresas de telefonia Oi e Vivo.

Segundo as apurações, foram transferidos R$ 132 milhões pela Oi e R$ 40 milhões pela Vivo a empresas de Lulinha e de Jonas Suassuna, seu sócio em diversos empreendimentos, de 2004 a 2016.

Em 2010, Suassuna comprou o sítio junto com Fernando Bittar (filho de Jacó Bittar, amigo de Lula que atuou na fundação do PT). Ele pagou R$ 1 milhão, e Bittar o restante.

A Lava-Jato suspeita que o dinheiro usado na compra do terreno, ainda sem as benfeitorias, tenha sido oriundo das transferências feitas pelas empresas de telefonia. Por esse motivo, a compra do sítio virou o principal elo para que o processo esteja vinculado à 13ª Vara Federal de Curitiba, responsável pela Lava-Jato, onde atuou o ex-juiz Sergio Moro e atualmente trabalham os juízes Luiz Bonat e Gabriela Hardt.

A investigação é diretamente vinculada à que originou o processo que condenou Lula por corrupção e lavagem de dinheiro e aponta que o ex-presidente foi o principal beneficiado com a compra e obras no sítio.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Sérgio Moro diz que decisão do Supremo piorou a percepção dos brasileiros sobre o combate à corrupção
Câmara dos Deputados aprova medida provisória que transfere o Coaf para o Banco Central
Deixe seu comentário
Pode te interessar