Quinta-feira, 03 de Dezembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
23°
Mostly Cloudy

Brasil Perícia aponta que incêndios no Pantanal do Mato Grosso foram provocados por ação humana

Compartilhe esta notícia:

Imagens de satélite foram analisadas para auxiliar na identificação da origem do fogo

Foto: Mayke Toscano/Secom-MT
Imagens de satélite foram analisadas para auxiliar na identificação da origem do fogo. (Foto: Mayke Toscano/Secom-MT)

Os incêndios que atingem a região do Pantanal mato-grossense há cerca de dois meses foram provocados por pessoas, apontam perícias feitas pelo Centro Integrado Multiagências de Coordenação Operacional.

As perícias identificaram queima de pasto, fogo em raízes de árvore para retirar mel de abelha e incêndios em máquina agrícola e em veículo. Os laudos foram encaminhados para a Delegacia de Meio Ambiente para a abertura de inquérito e responsabilização dos infratores.

Foram analisadas imagens de satélite para auxiliar na identificação da origem dos incêndios. Na Reserva Particular do Patrimônio Natural Sesc Pantanal, em Barão de Melgaço, a causa do incêndio foi dada como queima intencional de vegetação desmatada para criação de área de pasto para gado.

Já na Fazenda Espírito Santo, uma máquina agrícola que fazia a limpeza de área com enleiramento (parte do processo da junção do material que formará o feno) pegou fogo e deu início ao incêndio na região.

Na Rodovia Transpantaneira, a perícia constatou que a causa foi um acidente automobilístico. Um veículo perdeu o controle na cabeceira de uma das pontes da rodovia, caiu no barranco e pegou fogo logo depois. No local, foram encontrados vestígios indicadores de queima e restos do veículo.

Na Fazenda São José, de acordo com os estudos, o fogo começou devido à prática de retirada de mel de abelhas silvestres.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Clube da Gurizadinha leva a cultura gaúcha para as crianças
Discussão sobre recursos de um fundo bilionário é um dos principais motivos da briga entre o presidente da Câmara dos Deputados e o ministro da Economia
Deixe seu comentário
Pode te interessar