Sábado, 12 de Junho de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
14°
Fair

Geral Polícia Civil de São Paulo prende suspeito de 19 anos que planejava ataque a uma escola

Compartilhe esta notícia:

Os dados mostram que 244 escolas preencheram o formulário de monitoramento na semana epidemiológica 21 (23 a 29 de maio. (Foto: Reprodução)

A Polícia Civil de São Paulo prendeu nesta segunda-feira (10) um homem de 19 anos suspeito de planejar um ataque a alunos de uma escola no bairro de Americanópolis, na Zona Sul da capital paulista. Ele foi detido na mesma região onde está localizada a unidade de ensino.

Segundo a polícia, o planejamento do ataque foi descoberto pela área de inteligência do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) da polícia. A partir da informação, agentes da 1ª Delegacia da Divisão de Crimes Cibernéticos (DCCiber) conseguiram acessar trocas de mensagens do suspeito em uma rede social.

“Os conteúdos dos textos permitiram a obtenção de quebra de sigilo o que contribuiu para coleta de mais provas que foram remetidas à Justiça. A partir de então, foram expedidos mandados de busca e apreensão e de prisão contra o rapaz”, destacou a polícia em nota.

O homem foi encontrado e preso na casa de um tio, no bairro Capão Redondo, na Zona Sul da capital paulista. Também foi apreendido o celular que ele usava no planejamento do ataque. De acordo com a polícia, o suspeito homenageava o autor do massacre de sete pessoas em uma escola estadual em Suzano, ocorrido em março de 2019: o suspeito usava a foto do assassino para ilustrar uma de suas redes sociais e criou um e-mail com o nome dele.

O equipamento foi encaminhado ao Instituto de Criminalística (IC), responsável pela análise pericial. A Polícia Civil continua as investigações para identificar e prender outros envolvidos no esquema criminoso.

Mais dois adolescentes foram identificados como suspeitos e são procurados pela polícia. Os policiais informaram que o jovem passou por tratamento e foi detido por motivo semelhante em 2020. Agora, ficará preso por tempo indeterminado após o cumprimento do mandado de prisão preventiva. Ainda segundo a polícia, a prisão aconteceu com auxílio de informações vindas de autoridades americanas. Ele cooptava, pela internet, jovens dispostos a realizar ataques.

Santa Catarina

Na semana passada, três crianças e duas funcionárias de uma escola infantil de Saudades, no Oeste de Santa Catarina, morreram após um ataque à faca. Após o atentado, o assassino, um jovem de 18 anos, deu golpes contra o próprio corpo e foi levado em estado grave para um hospital da região. A polícia afirmou que o jovem entrou no local e atingiu as vítimas com um facão.

A Polícia Civil já começou a analisar os dois computadores e um pen drive que foram encontrados na casa do jovem apontado como autor do ataque no município de Saudades. Após decisão do Judiciário autorizando a quebra de sigilo de dados, a polícia pode começar a extração de dados de dispositivos eletrônicos apreendidos para a investigação. “Os investigadores da Polícia Civil estão debruçados fazendo varreduras nos dispositivos apreendidos para angariar mais elementos de interesse da investigação e esclarecer ao máximo possível esse crime horrendo”, afirmou o delegado Jerônimo Marçal.

Nesta segunda-feira (10), a Polícia Civil de Santa Catarina realizou o interrogatório do autor dos crimes. A diligência foi realizada pelo Delegado de Polícia responsável pelo caso e sua equipe. O interrogatório foi realizado no Hospital Regional do Oeste, em Chapecó, e durou cerca de uma hora. O teor do interrogatório não pode ser divulgado, pois ainda restam algumas diligências a serem adotadas até a finalização do inquérito policial, que deverá ocorrer ainda nesta semana. A Polícia Civil de Santa Catarina informou que se manifestará oficialmente ao final das investigações. As informações são da Agência Brasil e das polícias civis de São Paulo e de Santa Catarina.

tags: em foco

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Geral

Duas mulheres e uma criança são baleadas na Times Square, em Nova York
Após vídeo se espalhar, o prefeito do Rio de Janeiro pede desculpas por cantar sem máscara em bar no Centro da cidade
Deixe seu comentário
Pode te interessar