Sábado, 19 de Setembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
18°
Fair

Mundo Presidente eleito Alberto Fernández se encontra com o atual Mauricio Macri para começar a transição de governo na Argentina

Compartilhe esta notícia:

Fernández e Macri na Casa Rosada, na Argentina. (Foto: Casa Rosada/Fotos Públicas)

O presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, se reuniu com Maurício Macri na Casa Rosada nesta segunda-feira (28) para começar o trabalho de transição de governo.

Eleito em primeiro turno em votação no domingo (27), Fernández vai assumir a presidência no dia 10 de dezembro deste ano.

Segundo o diário “La Nación”, Fernández definiu os líderes que coordenarão suas equipes de transição: Santiago Cafiero, Eduardo De Pedro, Gustavo Béliz e Vilma Ibarra. Todos eles fazem parte de um grupo de 40 líderes da Frente de Todos que se reuniram no último sábado e farão parte do processo de transferência de poder.

O presidente eleito informou Mauricio Macri que irá informando os nomes da equipe de transição na medida em que Macri for solicitando contatos para iniciar as discussões com seus ministros.

De acordo com “La Nación”, Fernández deve anunciar seus futuros ministros dias antes de assumir. Ele pretende usar o tempo que resta antes da posse para consolidar sua equipe e alcançar um equilíbrio entre as diferentes forças que compõem a coalizão governamental.

Fernández propôs a Macri não falar do passado, mas do futuro, segundo apurou o jornal “La Nación”.

No entanto, eles conversaram sobre o passado recente ao falar das reservas internacionais da Argentina.

A medida de restringir a compra de dólares deveria ter sido tomada há mais tempo, logo após as prévias, teria dito Fernández a Macri, de acordo com o jornal argentino.

De acordo com Fernández, isso custou US$ 20 bilhões –Macri afirmou que metade desse valor era referente a fuga de capitais, e a outra metade, a saques de depósitos.

Recado a Macri

Durante a comemoração da vitória de Fernández no domingo, Cristina Kirchner, a vice-presidente eleita, mandou um recado a Macri.

“Vou pedir, na minha condição de ex-presidente constitucional durante dois mandatos neste país, que, por favor, até o dia 10 de dezembro, como eu fiz até o dia 9 de dezembro quando foi o meu caso, passar o poder, que tome todas as medidas que puder para melhorar a situação dramática das finanças do país. É sua responsabilidade”, ela disse.

Fernández venceu com 48,02% dos votos. Macri teve 40,46%. O resultado garantiu a vitória para o kirchnerista porque, na Argentina, o candidato vence no primeiro turno se obtiver mais do que 45% dos votos. As informações são do portal G1.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul considera inconstitucional proposta do governo estadual de congelamento de repasses a todos os poderes
Dólar fecha abaixo de 4 reais com expectativas sobre juros nos Estados Unidos e no Brasil
Deixe seu comentário
Pode te interessar