Quinta-feira, 28 de Janeiro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Cloudy

Agro Produtores rurais gaúchos afetados pela estiagem recebem nova linha emergencial de crédito

Compartilhe esta notícia:

A ideia do governo federal é facilitar a recuperação dos agricultores de pequeno e médio porte, enquadrados no Pronaf e no Pronamp

Foto: Arquivo/Defesa Civil
A ideia do Governo Federal é facilitar a recuperação dos agricultores de pequeno e médio porte, enquadrados no Pronaf e no Pronamp. (Foto: Arquivo/Defesa Civil)

Os produtores rurais que perderam as lavouras por causa da seca que atingiu os Estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, entre o fim de 2019 e o início de 2020, ganharam acesso a uma nova linha de crédito. O auxílio, aprovado pelo CMN (Conselho Monetário Nacional), está disponível desde a última quarta-feira (23).

A ideia do governo federal é facilitar a recuperação dos agricultores de pequeno e médio porte, enquadrados no Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar) e no Pronamp (Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural). O montante será liberado de acordo com as perdas comunicadas ao Proagro (Programa de Garantia da Atividade Agropecuária) entre 1º de setembro de 2020 e 31 de dezembro de 2020.

Para as operações no Pronaf, o limite de financiamento é de R$ 50 mil e no Pronamp, de R$ 300 mil, com juros de 4% e 5% ao ano, respectivamente. Em ambas as modalidades, a contratação pode ser feita até 15 de fevereiro de 2021. Para ter acesso à linha, o produtor deve seguir as recomendações do Zoneamento Agrícola de Risco Climático.

Os financiamentos para replantio não terão cobertura de seguro oficial, Proagro ou do PSR (Programa de Seguro Rural). A vistoria e análise de comprovação de perdas acima de 60%, com indenização do Proagro, foram flexibilizadas, assim como a liberação imediata da área para novo plantio.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Agro

Pagamento antecipado do IPVA com desconto pode ser feito até quarta-feira
Confiança da indústria brasileira sobe e atinge maior patamar desde 2010
Deixe seu comentário
Pode te interessar