Terça-feira, 20 de Outubro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
26°
Fair

Rio Grande do Sul Rio Grande do Sul ganha 54,4 mil novos empreendedores individuais durante a pandemia

Compartilhe esta notícia:

O volume representa avanço de 9,3% em relação aos 49,8 mil MEIs que se formalizaram e iniciaram suas atividades no mesmo período em 2019

Foto: Reprodução/Pixabay
O volume representa avanço de 9,3% em relação aos 49,8 mil MEIs que se formalizaram e iniciaram suas atividades no mesmo período em 2019. (Foto: Reprodução/Pixabay)

O Rio Grande do Sul ganhou, em média, 297 novos MEIs (microempreendedores individuais) por dia na pandemia. De março a agosto, segundo o Portal do Empreendedor mantido pelo governo federal, o Estado registrou a criação de 54,4 mil negócios com este enquadramento. O volume representa avanço de 9,3% em relação aos 49,8 mil MEIs que se formalizaram e iniciaram suas atividades no mesmo período em 2019.

O desempenho está em sintonia com o nacional. No País, surgiram 944,7 mil empreendedores individuais no período, elevação de 12,2% frente a 2019. No Estado, o diretor-superintendente do Sebrae-RS, André Godoy, avalia que o incremento é puxado por empreendedores que enxergaram oportunidade de formalizar um negócio e, em muitos casos, se voltaram ao atendimento de demandas surgidas em meio à crise sanitária.

O contexto de recessão no País, confirmado após dois trimestres seguidos de queda no PIB (Produto Interno Bruto), é apontado por economistas como um dos fatores que pode contribuir para manter a criação de MEIs aquecida.

Como reflexo da crise, o Rio Grande do Sul acumula perda de 95 mil postos de trabalho até julho, conforme o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Os cortes foram concentrados entre março e junho. Em julho, o saldo voltou a ser positivo: 1,2 mil vagas.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Bolsas europeias operam em queda por temor de segunda onda de coronavírus
Analistas do mercado financeiro melhoram previsão e passam a ver tombo de 5,05% no PIB do Brasil em 2020
Deixe seu comentário
Pode te interessar