Sexta-feira, 17 de setembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
19°
Mostly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Ciência Saiba por que Jeff Bezos e Richard Branson ainda não são astronautas

Compartilhe esta notícia:

Para se qualificarem como astronautas comerciais, os viajantes do espaço devem viajar 80 km acima da superfície da Terra. (Foto: Reprodução)

Em um movimento que joga água fria nos sonhos de alguns exploradores espaciais bilionários, os Estados Unidos endureceram sua definição sobre a palavra “astronauta”.

As novas regras da FAA (agência que regulamenta a aviação civil nos Estados Unidos) dizem que os astronautas devem fazer parte da tripulação e contribuir para a segurança dos voos espaciais.

Isso significa que Jeff Bezos e Sir Richard Branson ainda não podem ser vistos como astronautas sob os critérios do governo dos Estados Unidos.

Estas são as primeiras mudanças desde o início do “FAA Wings”, um programa federal de formação de pilotos, em 2004.

As atualizações do programa sobre voos comerciais foram anunciadas na semana passada, mesmo dia em que Bezos, da Amazon, voou a bordo do foguete Blue Origin.

Para se qualificarem como astronautas comerciais, os viajantes do espaço devem viajar 50 milhas (80 km) acima da superfície da Terra, o que tanto Bezos quanto Branson fizeram.

Mas, fora a altitude, a agência diz que os aspirantes a astronautas também devem ter “demonstrado durante o voo atividades essenciais para a segurança pública, ou contribuído para a segurança humana em vôo espacial”.

Os critérios para as duas determinações são definidos por oficiais da FAA.

Em nota, a FAA disse que essas mudanças aprimoram o papel do programa em proteger a segurança pública durante voos espaciais comerciais.

Em 11 de julho, Sir Richard voou a bordo da SpaceShipTwo da Virgin Galactic como parte de um teste, antes de permitir que clientes comecem a embarcar no próximo ano.

Já Bezos e os três outros tripulantes que voaram na espaçonave da Blue Origin podem ter menos direitos sobre o cobiçado título.

Antes do lançamento, o CEO da Blue Origin, Bob Smith, disse que “não há realmente nada para um membro da tripulação fazer” no veículo autônomo.

Aqueles que desejam direitos comerciais para voos do tipo precisam ser nomeados. Um porta-voz da FAA disse à CNN que no momento eles não estão avaliando nenhum caso.

Existem duas outras maneiras de ganhar título de astronauta nos Estados Unidos – por meio dos militares ou da Nasa.

As asas de astronauta que aparecem nos uniformes de Bezos e de Sir Richard foram customizadas por suas próprias empresas.

No entanto, uma ponta de esperança permanece para Richard, Bezos e quaisquer futuros expedicionários que desejem ser reconhecidos como astronautas.

O novo texto aponta que prêmios honorários podem ser dados com base no mérito – a critério, novamente, da FAA.

As asas de astronauta foram dadas pela primeira vez aos astronautas Alan Shepard Jr e Virgil Grissom no início dos anos 1960, por sua participação no programa Mercury Seven.

tags: Você Viu?

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Ciência

Escassez de chips pode atrasar lançamento de smartphones em 2022
Veja atrações imperdíveis na Grécia
Deixe seu comentário
Pode te interessar