Quinta-feira, 23 de setembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Política “Se eu estivesse coordenando a pandemia, não teria morrido tanta gente”, afirma Bolsonaro

Compartilhe esta notícia:

"Tem juiz do trabalho que está aceitando demissão por justa causa a quem não quer tomar vacina", disse o presidente

Foto: Isac Nóbrega/PR
"Tem juiz do trabalho que está aceitando demissão por justa causa a quem não quer tomar vacina", disse o presidente. (Foto: Isac Nóbrega/PR)

O presidente Jair Bolsonaro disse que, se ele estivesse coordenando o combate à pandemia de coronavírus no Brasil, o País teria registrado menos mortes.

“Se eu estivesse coordenando a pandemia, não teria morrido tanta gente. Você fala de tratamento inicial. A obrigação do médico, em algo que ele desconhece, é buscar amenizar o sofrimento da pessoa e o tratamento off label”, declarou o presidente a apoiadores no sábado (24).

Apesar de não mencionar, ele fez referência a uma decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que, em abril de 2020, deu autonomia para Estados e municípios decretarem medidas restritivas para combater a Covid-19.

O presidente também criticou a decisão da Justiça do Trabalho de São Paulo que validou a demissão por justa causa de uma auxiliar de limpeza que se recusou a tomar a vacina contra o coronavírus. A mulher trabalhava em um hospital infantil em São Caetano do Sul.

“Tem juiz do trabalho que está aceitando demissão por justa causa a quem não quer tomar vacina. Eu falei no ano passado que, no que depender de mim, a vacina é facultativa. Me acusam de negacionista”, declarou.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Mais de 70% dos serviços públicos brasileiros já são digitais
Seleção de basquete dos EUA estreia com derrota para a França na Olimpíada
Deixe seu comentário
Pode te interessar