Terça-feira, 26 de Maio de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
13°
Cloudy

Mundo Sem nenhuma morte causada pelo coronavírus, a Eslováquia começa a reabrir lojas

Compartilhe esta notícia:

O país adotou o confinamento amplo no dia 12 de março, logo depois de a Itália decretar quarentena. (Foto: Reprodução)

Um dos primeiros países a adotar medidas drásticas de confinamento para combater o coronavírus, a Eslováquia (Europa central) vai começar a reabrir algumas lojas não essenciais, com a condição de que entre apenas um cliente por 25 metros quadrados.

Entre os negócios que terão a proibição de funcionamento relaxada pelo governo estão lojas e oficinas de bicicletas, lojas de jardinagem e de material de construção e utensílios domésticos.

A Eslováquia, cuja população é de 5,45 milhões pessoas, não registrou nenhuma morte desde que o primeiro caso foi confirmado no país, em 5 de março, e está entre os países europeus com menos números totais de doentes (292, dos quais dois se recuperaram) e com menor taxa de casos confirmados por 100 mil habitantes (5,4).

Diferentemente de outros países em que a falta de testes pode levar a subnotificação dos casos confirmados, a Eslováquia tem intensificado os exames.

O país adotou o confinamento amplo no dia 12 de março, logo depois de a Itália decretar quarentena. Naquele momento, apenas dez eslovacos haviam obtido resultado positivo para contágio com o novo coronavírus.

Foram proibidas viagens, e as fronteiras ficaram abertas apenas para residentes no país. Todos os eventos culturais, esportivos e religiosos foram suspensos, assim como partidas esportivas.

O governo eslovaco também proibiu visitas a hospitais e casas de idosos e suspendeu aulas em todas as escolas.

Apenas um paciente está em estado grave hoje no país, internado em UTI.

Enquanto a Eslováquia relaxa suas regras, a Espanha, um dos mais afetados do continente, apertou o confinamento no sábado (28).

Com 838 mortes em 24 horas, número recorde, o governo determinou que todos os trabalhadores não essenciais devem ficar em casa até 9 de abril.

Itália

A Defesa Civil da Itália informou neste domingo (29) que o país teve 756 mortes, 5217 novos casos de coronavírus nas últimas 24 horas. O país, que é o mais afetado pela pandemia, detém o recorde de mais mortos por causa da Covid-19.

O número oficial já soma 10.779 vítimas da doença. Esse número representa mais de um terço de todas as mortes pelo vírus no planeta.

Dos infectados em todo o país, 13.030 se recuperaram totalmente no domingo, em comparação com 12.384 no dia anterior. Havia 3.906 pessoas em terapia intensiva, acima das 3.856 anteriores.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Aos 86 anos, morre a prima do rei da Espanha vítima de coronavírus
O coronavírus se espalha na Itália e contamina mais de 6 mil profissionais de saúde
Deixe seu comentário
Pode te interessar