Sábado, 22 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
15°
Fair

Brasil Sérgio Moro pede à PGR a abertura de investigação contra presidente da OAB por calúnia

Moro é o ministro mais bem avaliado pela população em pesquisa do Datafolha . (Foto: Isaac Amorim/MJ-SP)

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, enviou nesta quinta-feira (08) uma representação à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, na qual pede providências em relação ao presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Felipe Santa Cruz.

No documento encaminhado, Moro entende que o Ministério Público Federal deve apurar supostos crimes de calúnia, injúria e difamação, que teriam sido cometidos por Santa Cruz. Em uma entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, há duas semanas, o presidente da entidade disse que o ministro “banca o chefe de quadrilha” no caso da investigação dos hackers que invadiram o seu celular.

“O comentário repercutiu na esfera subjetiva deste subscritor, em seu sentimento e sendo de dignidade e decoro, visto que também sugere uma conduta arbitrária no exercício das relevantes funções de ministro de Estado e Segurança Pública, de ingerência e interferência na Polícia Federal, acarretando também a tipificação nos crimes de injúria e difamação”, escreveu Moro.

Youtuber

Moro pediu à Polícia Federal a abertura de inquérito contra o youtuber Vina Guerrero para apurar a suposta prática de crimes de ameaça, incitação à violência e contra a honra do presidente da República, Jair Bolsonaro.

No pedido, feito na terça-feira (06), Moro solicitou ainda que a PF verifique a possibilidade de enquadrar as condutas de Guerrero na Lei de Segurança Nacional. O youtuber divulgou um vídeo no seu canal no YouTube em que afirma que “não tem mais condição de aceitar” Bolsonaro no poder e que o presidente e seus quatro filhos devem ser assassinados.

“Vamos começar a guerra, velho. É isso que tem que acontecer. Não tem mais condição de aceitar um bosta como o Bolsonaro no poder. Esse cara tem que ser assassinado. Ele e família. Menos a filha, que não é política. Os políticos da família Bolsonaro, os quatro: os três filhos bosta e o próprio pai. Esses têm que acabar, têm que morrer. Você tem que morrer Bolsonaro. Você é um câncer na sociedade, você é um lixo, você é um opressor de merda, um covarde”, afirmou o youtuber no vídeo, que já foi retirado da plataforma.

Guerrero tem cerca de 6 mil inscritos no seu canal. Após a publicação contra o presidente do Brasil, ele apagou todos os vídeos do canal. Vina Guerrero é filiado ao PDT. Nas redes sociais, o diretório do partido em São Paulo divulgou uma nota na qual repudia as “declarações de ameaça” do youtuber. O PDT afastou o filiado das atividades partidárias e encaminhará o caso para o conselho de ética do partido.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Uma briga se instalou no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro porque o corregedor decidiu exigir de 30 juízes a devolução dos valores gastos em uma pós-graduação no exterior
A medida provisória da liberdade econômica deve ser votada na terça-feira
Deixe seu comentário
Pode te interessar