Domingo, 29 de Março de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
23°
Fair

Últimas Símbolo do carnaval, trio elétrico completa 70 anos espalhado pelo País

Trio elétrico do bloco Bah Guri! animou uma multidão em Porto Alegre

Foto: O Sul
Trio elétrico do bloco Bah Guri! animou uma multidão em Porto Alegre. (Foto: O Sul)

Uma gambiarra ligava os dois instrumentos a um gerador de dois quilowatts de um Ford T 1929. Em cima da carroceria, Adolfo do Nascimento, o Dodô, empunhava um violão. Osmar Macedo dedilhava um cavaquinho. A percussão foi no chão, acompanhando o cortejo a pé. O desfile aconteceu no carnaval de 1951, em Salvador (BA). Mas foi a data redonda de 1950 que ganhou a história como o ano da criação do trio elétrico, invenção que se tornaria uma das maiores revoluções no modo de se fazer carnaval do Brasil.

Depois de 70 anos, o trio adquiriu novos formatos e amplificou a potência. Também ganhou status de protagonista e é presença certa nas festas das grandes metrópoles até pacatas cidades do interior.

A história começou por acaso nos anos 1940, quando o eletrotécnico Dodô fez os primeiros experimentos para amplificar o violão. Por meio de um sistema de bobinas, passou a captar e amplificar o som na boca do instrumento. Mas a microfonia era um entrave à qualidade sonora.

O passo seguinte foi retirar o corpo do instrumento, mantendo apenas o braço, e ligar o sistema de amplificação diretamente ao violão e ao cavaquinho. Estava criado o pau elétrico, instrumento considerado um dos precursores da guitarra baiana.

Com os instrumentos eletrificados, Dodô e Osmar formaram o conjunto Dupla Elétrica. Até que, após um desfile de sucesso do grupo de frevo Vassourinhas em 1951, os dois músicos resolveram testar o sistema de amplificação de som e desfilaram em cima do veículo apelidado Fobica, pelas ruas do Centro de Salvador.

Acompanhado por uma multidão, o desfile foi um sucesso. No ano seguinte, a dupla incorporou ao grupo o músico Themístocles Aragão, que tocava triolim. Estava criado o trio elétrico.

A voz foi incorporada aos trios elétricos definitivamente em 1975, quando Moraes Moreira, já fora dos Novos Baianos, assumiu os microfones e cantou a música “Pombo Correio” no trio de Dodô, Osmar e Armandinho.

Depois, entraram instrumentos como baixo, bateria e teclado, já sob influência das bandas de rock. E os caminhões carnavalescos começaram a atingir outro patamar de qualidade.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Últimas

Comemorado em todo o Brasil, o carnaval não é considerado um feriado nacional
O trabalho infantil aumenta quase 40% durante o carnaval no Brasil
Deixe seu comentário
Pode te interessar