Terça-feira, 31 de Março de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
28°
Fair

Política “Sociedade pagou a conta na Previdência e empresas devem arcar na tributária”, diz o presidente da Câmara dos Deputados

Presidente da Câmara também disse que o governo mudou sua agenda de privatizações

Foto: Agência Brasil
Presidente da Câmara também disse que o governo mudou sua agenda de privatizações (Foto: Agência Brasil)

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que a sociedade pagou a conta na reforma da Previdência e que as empresas devem arcar com eventuais custos de uma reforma tributária.

“Muitas vezes a elite também erra, quer que a sociedade pague a conta da redução do custo de alguns setores da economia. Temos que ter a coragem de falar a verdade. Na reforma da Previdência, a sociedade pagou mais a conta do que os empresários”, disse Maia durante o evento CEO Conference Brasil 2020 do banco BTG Pactual, nesta terça-feira (18), em São Paulo.

Segundo Maia, alguns empresários “ressuscitaram o Everardo (Maciel, ex-secretário da Receita) como garoto-propaganda da CPMF”. “Se algum setor está preocupado, tem que dialogar e entender que a parte da contribuição dos empresários deve existir da mesma forma que o brasileiro também colaborou com a reforma da previdência”, afirmou.

O presidente da Câmara também disse que o governo mudou sua agenda de privatizações. “A maior empresa que o governo vai privatizar é a Eletrobras. Não tem grandes privatizações. Quando as pessoas estão na oposição, falam que tem que privatizar Caixa, BB e Petrobras, mas quando senta na cadeira muda. Aí, a função social dos bancos é enorme.”

Maia afirma que o Senado ainda resiste sobre a privatização da Eletrobras e que após resolver essa questão, o assunto deve andar rápido na Câmara. Ele diz, no entanto, que a privatização dos Correios enfrenta mais resistência. “Meu WhatsApp é mais atacado quando trato desse tema”, diz ele, que defende a quebra do monopólio da estatal.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Familiares de ministros do Supremo também sofrem ameaças
Bolsonaro manda recado de que não vai tolerar “fogo amigo” contra seu ministro da Economia
Deixe seu comentário
Pode te interessar