Segunda-feira, 06 de Abril de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
20°
Mostly Cloudy

Brasil Subiu para 182 o número de casos suspeitos de coronavírus no Brasil. No RS são 27 casos suspeitos

Apresentação do secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira.

Foto: Reprodução/Twitter
Apresentação do secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira. (Foto: Reprodução/Twitter)

O Brasil tem 182 casos suspeitos de coronavírus, de acordo com o boletim sobre o Covid-19 divulgado nesta sexta-feira (28) pelo Ministério da Saúde. O novo balanço não traz novas confirmações – há somente um caso positivo. O levantamento aponta ainda que outras 71 suspeitas foram descartadas desde o início do monitoramento. No Rio Grande do Sul, são 27 casos suspeitos.

No balanço anterior, divulgado na quinta-feira (27), havia 132 casos e outras 213 notificações, mas muitas delas não foram confirmadas como casos suspeitos. O governo reforçou a necessidade de manter o foco no controle da dispersão do vírus e disse que a melhor alternativa são os cuidados com a higiene.

“Água e sabão é a melhor prevenção. A melhor estratégia é lavar a mão com água e sabão”, disse o secretário nacional de vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, na apresentação do boletim.

O levantamento mostrou a seguinte distribuição dos casos pelo Brasil: São Paulo (66), Rio Grande do Sul (27), Rio de Janeiro (19), Minas Gerais (17), Bahia (9), Santa Catarina (9), Ceará (6), Pernambuco (5), Paraná (5), Distrito Federal (5), Goiás (5), Rio Grande do Norte (3), Mato Grosso do Sul (2), Espírito Santo (2), Paraíba (1) e Alagoas (1).

Caso em São Paulo

Mais cedo nesta sexta, o governo de São Paulo informou que os três familiares do homem infectado com coronavírus não estão mais sob suspeita de estarem contaminados. Os casos foram excluídos após exames laboratoriais.

O morador de São Paulo, que tem 61 anos, continuava em isolamento domiciliar até a última atualização desta reportagem. Ele retornou de Turim, no Norte da Itália, na sexta-feira (21) e teve o diagnóstico confirmado na quarta-feira (26).

“O paciente está muito bem e sairá da quarentena assim que sair dos sintomas clínicos”, disse o médico infectologista David Uip, coordenador de centro de contingência contra coronavírus implantado em São Paulo.

Nova categoria

O secretário nacional de vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, disse que o Ministério da Saúde vai atualizar sua classificação dos casos para incluir uma nova categoria, que será a dos casos “prováveis”.

“Por exemplo, os contactantes [indivíduos que tiveram contato] com caso confirmado serão ajustados para ‘casos prováveis’. Caso apresentem características clínicas compatíveis com uma doença respiratória, como o coronavírus, nem precisará de teste. Será confirmado como caso clínico epidemiológico. Já estamos avisando, caso um contato próximo de um caso confirmado se torne caso suspeito, será confirmado como caso clínico epidemiológico”, afirmou o secretário.

Vacinação

Sobra a antecipação da campanha de vacinação para o dia 23 de março, o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, ressaltou que ela não é uma vacina contra o coronavírus, mas vai ajudar a descartar os casos.

“Faremos a campanha de vacinação contra a gripe de 23 de março até 23 de maio. São 75 milhões de doses de vacina trivalente e compramos, também, 2,5 milhões de vacinas H1N1 para casos de emergência”, disse Oliveira.

“A vacina da gripe não é para prevenir contra o coronavírus. É para prevenir contra os vírus influenza. O médico, sabendo que o paciente já foi vacinado, poderá investigar outras causas”, esclareceu.

Fluxo de informações

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis explicou uma modificação no fluxo de notificação de casos. “A partir de agora, as secretarias estaduais ficarão responsáveis por fazer a análise dos seus casos. Depois enviarão os dados mais refinados para o Ministério da Saúde”, relatou.

Ele também anunciou que a partir da próxima semana, quem chegar perto de um aeroporto internacional receberá uma mensagem com orientação para buscar uma unidade de saúde se tiver febre e outro sintoma gripal, após viagem a um país com casos do coronavírus.

Aplicativo

Em breve, o ministério vai disponibilizar o aplicativo “Coronavírus SUS”. “Ele é bem simples, com área de dicas, contato da unidade de saúde mais próxima. O cidadão poderá obter muita informação”, divulgou o secretário Wanderson de Oliveira.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Teste descarta coronavírus nos três familiares do brasileiro infectado na Itália
Governo prorroga presença das Forças Armadas no Ceará por uma semana
Deixe seu comentário
Pode te interessar