Quinta-feira, 20 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Fair

Economia “Tem muita estatal que tem de ser negociada, senão quebra”, diz Bolsonaro

Na mensagem presidencial enviada neste ano ao Congresso, Bolsonaro defende aprovação da privatização da Eletrobras

Foto: José Cruz/Agência Brasil
Fala do presidente sobre corte de imposto estadual sobre combustíveis causou embate com governadores. (Foto: José Cruz/Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira (07) que muitas estatais devem ser “negociadas”, caso contrário irão quebrar. Ele havia sido questionado por uma apoiadora, em frente ao Palácio da Alvorada, se a Eletrobras será privatizada.

“Olha, o que aconteceu. Quando a Dilma baixou o preço, houve um déficit enorme. Hoje você precisa investir para o sistema não entrar em colapso. E eu não tenho R$ 28 bilhões, esse que é o problema. Tem muita estatal aí que infelizmente vai ter que ser negociada, senão vai quebrar”, respondeu Bolsonaro, fazendo alusões a decisões da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) que elevaram o valor da conta de luz.

Na mensagem presidencial enviada neste ano ao Congresso, Bolsonaro defende aprovação da privatização da Eletrobras. O projeto de lei do governo para viabilizar negociação da estatal foi enviado em 2019 pelo governo ao Legislativo.

Preço da gasolina

Bolsonaro voltou responsabilizar nesta sexta-feira governadores pelo alto preço do combustível. Em resposta a um fã que disse desejar a queda do valor pago nas bombas, Bolsonaro disse: “Estão sabendo de quem é a culpa agora, né. Estão sabendo. Acabou a brincadeira de me acusar.”

O presidente defende que o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) incida sobre o valor do combustível na refinaria, em vez de em bombas de postos. Ele afirma que enviará ao Congresso um projeto de lei para viabilizar a mudança na cobrança.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Ministro da Economia destaca clima favorável às reformas no Congresso Nacional
O presidente da Câmara dos Deputados espera aprovar a reforma administrativa ainda no primeiro semestre do ano
Deixe seu comentário
Pode te interessar